quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Esquecidos pela maioria das pessoas, os pés merecem ser tratados com atenção especial.



Na tradição indiana, tocar os pés de um mestre ou de um santo é considerado um ato de respeito e humildade. Para demonstrar reverência e desapego do ego, os indianos fazem rituais lavando os pés das pessoas consideradas especiais ou sábias. Já no Ocidente, os pés não recebem tanta importância. Apesar de sustentarem nosso corpo o dia inteiro, só nos lembramos dos pés quando doem.

Formado por 26 ossos, que são mantidos no lugar por ligamentos, tendões e músculos, os pés funcionam como uma engrenagem perfeita, com movimentos controlados pelos músculos da parte inferior da perna, que, por sua vez, estão presos a eles por tendões que passam por meio dos tornozelos. Os dedos são unidos de forma que o pé possa dobrar-se com facilidade e o movimento de andar torne-se ameno.

Mas ao descuidar desta parte tão importante do corpo, estamos sujeitos a dores, torções, inchaço, calosidades, odores e micoses. Por isso, é importante tratá-los com cuidados especiais. Diariamente, após o banho, devemos secar bem entre os dedos, alternar o uso dos calçados, usar sempre meias de algodão, hidratá-los sempre e evitar calçados de bico fino e de salto alto.

Quando o tempo começa a esquentar, costumam aparecer fissuras nos pés devido à temperatura alta e ao tempo seco. “Para as fissuras, o tratamento é uma hidratação profunda, que pode ser com um creme à base de parafina, pelo menos uma vez por mês, e o uso de hidratantes à base de uréia, silicone ou cera de abelha diariamente”, recomenda o podólogo Adriano Giaciane, coordenador técnico da rede Doctor Feet.

Nessa época, os pés costumam transpirar mais, causando odores, e as bordas dos dedões podem descascar – principalmente as de praticantes de Yoga, que fazem as aulas descalços. “O uso de hidratantes e produtos adequados resolve o problema”, esclarece o podólogo.

Saltos Altos
A Dra. Cibele Ressio, mestre em Ortopedia e Traumatologia e especialista em medicina e cirurgia do pé da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), explica sobre o tema: “O uso constante de saltos altos encurta a musculatura ísquiotibial, isto é, a musculatura posterior da perna que vai até a coluna, causando dor na região lombar”. A ortopedista afirma que 90% das deformidades do antepé (a ponta dos pés) são causadas por uso de calçados inadequados: apertados, menores do que os pés, ou de salto muito alto. Segundo ela, não é a altura do salto isoladamente que importa. O ideal é o pé paralelo ao solo, ou levemente inclinado, com a diferença máxima entre o salto e a plataforma do antepé de 3 cm.

A especialista sugere deixar uma polpa digital de folga entre o último dedo e a ponta do calçado, pois os dedos necessitam deste espaço para a movimentação na caminhada.

Calçados e meias

• Dê preferência a calçados de bicos mais largos, de couro macio e de salto baixo, evitando, assim, piores danos aos pés e à coluna.
• Já as meias têm de ser de algodão, pois absorvem a transpiração, evitando, assim, ressecamentos, fissuras e odores.
• Use sandálias macias, hidrate os pés de duas a três vezes ao dia, e seque bem entre os dedos após o banho.
• O uso de palmilhas é recomendado sempre que perceber o aparecimento de bolhas.
• Para escolher um calçado adequado, é importante evitar materiais sintéticos e procurar usar sapatos ventilados.
• O ideal é alternar o uso dos calçados, deixando o que foi usado durante todo o dia num local arejado ou com sol.


Para fazer nem casa
Escalda-pés Ayurvédico
Quando estiver muito calor, pode-se realizar um escalda-pés com água fresca e de rosas e pequenas pedras de gelo. A água não pode ficar gelada. Mantenha os pés na água de 15 a 20 minutos. Caso queira, pode-se acrescentar ervas como menta ou camomila. Em dias muito frios, o escalda-pés pode ser bem quente, com ervas como gengibre ou canela, e pode-se acrescentar um pouco de sal. Manter os pés de 15 a 20 minutos.

Escalda-pés refrescante
Coloque dois litros de água quente em uma bacia previamente desinfetada, adicione uma porção de mentol e duas colheres de álcool. Mergulhe os pés dentro da bacia, e relaxe por 15 a 20 minutos.

Hidratação e esfoliação dos pés
O primeiro passo é a esfoliação: misture açúcar e mel e esfregue na planta e no peito dos pés em movimentos circulares, por um ou dois minutos. Em seguida, passe um creme hidratante e envolva os pés em uma toalha quente ou em papel filme de cozinha, para estimular a penetração do produto na pele. Esta aplicação deve durar uns 20 minutos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

História da Terapia de zonas de reflexo



Dr. Med. William Fitzgerald fundou a terapia em zonas distantes dos orgãos afetados. Ele fez doutorado na Universidade de Vermont em 1895, estudou em Vienna, Paris e Londres, antes de abrir o consultório em NovaYork. Ele foi um dos primeiros que estudou a terapia em partes do corpo longe do orgão em disfunção.

Ele estudou as raízes dessa terapia alternativa pesquisando a acupressura na India e China de 5000 anos atrás, também como os estudos dos médicos Adamus e Atatis na Europa. Ele teve forte influência das técnicas dos tribos índias dos EUA que sabiam utilizar connecções refletórias em seus doentes.

Dr.Fitzgerald formou terapeutas para o uso dessas técnicas. A terapeuta E. Inham se formou com ele e desenvolveu a técnica, dirigida a zonas de reflexo somente para os pés. Ela concentrou todo trabalho dela desenvolvendo uma técnica especial de manobra (Método Inham de massagem de compressão) que ela descreve em seu livro "Histórias que os pés podem contar" (Stories the feet can tell).

Hanne Marquart estudou o método com Eunice Inham e a trouxepara a Alemanha, onde a praticou exclusivamente, entre 1958 e 1967.

Este Método, como muitos outros, passou por algumas fases de desenvolvimento; da sabedoria intuitiva milenar do povo na direção de uma forma de terapia manual flexível, que pode atender às necessidades das pessoas hoje em dia, e continua aberto a futuros desenvolvimentos.

Zonas de Reflexo
Muitas pessoas vão achar que somente a planta do pé tem pontos de reflexo, mas os dois pés inteiros inclusive o dorso do pé e os tornozelos fazem parte de uma unidade, que está sendo trabalhado com massagem de pressão durante o tratamento.

Causas de problemas nos pés
Uso abusivo dos pés ( caminhadas extremas, marathonas, esporte sem compensação
Fadiga ( profissões em pé, solo ou calçado inadequdado)
Disfunçaõ momentânia ( fraturas, cortes ,distorsões)
Fatores geneticas ( alterações dos pés, pé plano, egquino)
Metbolismo alterado ( Varizes, Ulcus, paralisias)
Reumatismo
O diagnostico de zonas de reflexo alteradas nos pés, deixa indicar que provavelmente existe um prosesso de sobrecarga no orgão relaciondado no momento da massagem. A causa, tipo ou prognöstico não pode ser definido.

Não nos preocupa o diagnóstico, mas a harmonização das zonas nos pés.

Bibliografia
Trabalho reflexológico nos pés, Hanne Marquart, Karl F. Haug-Verlag- Heidelberg
Stories the feet can tell, Eunice Inham

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Pontos reflexos



1 – estimulação da glândula pineal;

2 – melhorar o funcionamento da glândula pituitária, o que permitirá sentir melhor os odores e em consequência também melhorará o sabor da nossa comida;

3 e 32 – afecta os seios da mulher e dá-lhes maior turgência;

4, 5, 6 – aumenta os reflexos óticos e também reduz a dor de dentes;

7, 8, 10, 36, 37 e 39 – aliviam-se em grande medida as dores tanto de dentes como outras que se possam verificar no interior da boca;

9 e 38 – combate os problemas de ouvidos, porque aclamam consideravelmente as dores e ajudam também a diminuir as infecções nesta zona;

11 e 40 – alivio de dores incómodas que se instalam na zona do pescosso, geralmente provocadas por posições incorrectas;

12 e 41 – para pessoas que sofrem frequentemente de dores de graganta ou têm problemas com a glândula tiróide;

13 e 42 – para pessoas que têm bronquites e problemas respiratórios;

14 e 43 – alivio de dores e senssação de opressão na região do tórax;

15 e 44 – alivio de todos os problemas bronquiais, pulmonares e todos aqueles que estão relacionados com a resperação;

16 e 47 – para pessoas que sofrem de problemas de crescimento ou de desenvolvimento (sobretudo na época infantil) devidos ao mau funcionamento da glândula timo;

17 e 45 – para diversas disfunções no estômago e do resto do aparelho digestivo;

18 e 46 – para que o pâncreas funcione corretamente;

18 e 48 – regulação de todas as funções do sistema nervoso;

20 – para que a vesícula funcione correctamente e que não se criem nela pedras;

21 – para tratar os diversos problemas que afetam o fígado;

22 – muito conveniente para resolver problemas da glândula supra-renal e todas as doenças que incidem nela;

23 e 52 – para melhorar a função renal e todas aquelas que incidem no aparelho digestivo;

24 e 53 – para quando se sofre de problemas da bexiga ou de incontinência;

25 – para tratar as afecções do intestino, sobretudo as que se localizam no intestino delgado, responsável pela digestão;

26 e 54 – para melhorar as funções do cólon ascendente e do cólon descendente;

27 e 55 – Para suprimir ou pelo menos aliviar as terríveis dores provocadas na perna pelas lesões do nerva ciático;

28 e 56 – acalma as dores nos ovários, sobretudo as que se verificam durante a menstruação;

29 – a próstata costuma começar a dar problemas nos homens a partir dos 50 anos. Para regular a micção e aliviar os incómodos que esta disfunção provoca;


49 – ajuda no tratamento das lesões cardíacas;

50 – estimula o funcionamento do baço;

51 – para problemas provocados pela vesícula.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011



Reflexologia é um método de massagem terapêutica que ajuda no restabelecimento da saúde e promove alterações benéficas no corpo do paciente. Baseia-se na aplicação de pressão sobre as chamadas áreas reflexas usando o dedo polegar e manobras com a mão.

As áreas reflexas comumente trabalhadas são as mãos e/ou os pés, que representam um microssistema de todo corpo humano. Quando devidamente manipuladas, são capazes de promover a melhora da saúde através do relaxamento do corpo e do alívio da dor.

A história da reflexologia pode ser traçada remontando ao antigo Egito em muitos séculos atrás. Provas a respeito do uso deste tipo de medicina alternativa encontram-se nas pinturas das paredes e nas lápides dos médicos daquela época. Muitas dessas pinturas mostram a aplicação da reflexologia nos pés e mãos dos pacientes. Há também evidências de seus uso em outros países, como Japão, Rússia, Grécia Antiga, China e Índia. No entanto, a reflexologia não era tão popular até os métodos modernos serem desenvolvidos e adicionados como parte dos cuidados regulares de bem-estar do público em geral.

A reflexologia usa basicamente os pontos reflexos existentes nas mãos e pés do paciente. Acredita-se que essas áreas reflexas desempenham um papel importante na desobstrução das vias de energia de ligação (meridianos). Essas vias, quando bloqueadas, podem eventualmente resultar no desequilíbrio energético do corpo humano, enfraquecendo o seu sistema imunológico e, consequentemente, tornando-o propenso a diferentes tipos de doenças e dores.

A recuperação e a manutenção da saúde, através dessas áreas reflexas, são feitas usando os dedos e técnicas de mão com diferentes níveis de pressão, dependendo da necessidade do tratamento e sensibilidade do paciente. Esse processo de estimular e aplicar pressão sobre estas áreas das mãos e dos pés também permite uma boa circulação sangüínea, ajudando a promover as funções corporais e musculares do corpo.

Os pontos reflexos manipulados pelos terapêutas podem ser encontrados facilmente em gráficos de reflexologia. Quando o terapêuta está massageando a mão e e/ou o pé direito, a metade direita do corpo receberá os benefícios do tratamento, e quando em seguida a mão esquerda e pé são trabalhados pelo terapêuta, a metade esquerda do corpo será tratada.

Muitos estudos e pesquisas comprovam a eficácia e os benefícios retirados do tratamento regular com reflexologia. A maioria dos casos estudados envolvem pacientes com diferentes tipos de transtornos. Os benefícios catalogados mostram que a reflexologia ajuda tanto a saúde física quanto a saúde mental do doente.

Após sessões regulares de reflexologia, os pacientes experimentam um aumento significativo da saúde física, tal como: diminuição da tensão muscular, que gera relaxamento em todo o corpo; redução da dor em áreas específicas; aumento da imunidade; e ajuda na rápida recuperação em quadros de lesão ou trauma físico. Também pode ajudar na recuperação emocional do paciente, pois é capaz de estimular seu sistema nervoso, que em determinados quadros clínicos resulta diretamente na melhoria de sua saúde mental.

No entanto, assim como em qualquer tipo de massagem terapêutica, antes de iniciar um tratamento com reflexologia deve-se consultar um médico especialista para maiores esclarecimentos.

sábado, 24 de setembro de 2011

Lombalgia & reflexologia



É caracterizado por uma dor forte na região da coluna lombar. Uma lesão nos discos intervertebrais dessa região, torção ou deslocamento dos músculos ou ligamentos no local, podendo ser tratado por intermédio de algumas sessões de reflexologia podal, através da manipulação dos pontos específicos.

O que é lombalgia?
Denomina-se de Lombalgia, o conjunto de manifestações dolorosas que acontecem na região lombar, decorrente de alguma anormalidade nessa região. Conhecida popularmente como dor nas costas, a lombalgia é uma das grandes causas de morbidade e incapacidade funcional, tendo incidência apenas menor que a cefaléia entre os distúrbios dolorosos que mais acometem o homem. De acordo com vários estudos epidemiológicos, de 65% a 90% dos adultos poderão sofrer um episódio de lombalgia ao longo da vida, com incidência entre 40 e 80% da maioria das populações estudadas.

Sintomas
Os sintomas mais comuns da lombalgia são citados como uma dor lombar, que corresponde à região mais inferior da coluna vertebral, pouco acima das nádegas, na altura da cintura. Apresenta-se geralmente de começo discreto, com intensidade aumentando progressivamente e agravando com a mobilidade da região. Acompanha comumente a estas situações, algum grau de contratura muscular.
As crises dolorosas geralmente apresentam-se em um ciclo de dor que duram alguns dias, podendo em alguns casos tornar-se constante ou desaparecer, retornando depois de algum tempo.

Durante a crise dolorosa, a permanência em alguma forma de postura, seja sentado ou em pé, provoca o aparecimento da dor. A persistência dos sintomas ocasionalmente passa a ser um fator extremamente limitante sob o ponto de vista social, afetivo ou profissional, gerando grandes distúrbios secundários, como os de ordem emocional.

Em termos etiológicos, a lombalgia é um processo eminentemente clínico, onde os exames complementares devem ser solicitados apenas para confirmação da hipótese diagnóstica.

Causas da Lombalgia
Inúmeras circunstâncias (fatores de risco) contribuem para o desencadeamento e cronificação das síndromes lombares, tais como: fatores genéticos e antropológicos, psicossociais, obesidade, fumo, atividades profissionais, sedentarismo, maus hábitos posturais, síndromes depressivas, trauma, gravidez, trabalho repetitivo, entre outras.

Diagnóstico e exames
O exame clínico é suficiente para o diagnóstico.
O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando em conta as características dos sintomas e o resultado do exame neurológico. Exames como raio-x, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região da coluna está localizada.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011



História da Reflexologia

Há 5 000 anos, os chineses já praticavam várias formas de terapias de pressão e tais métodos certamente incluíam uma maneira de atuar sobre os pés, semelhante á atual Reflexologia. Uma antiga tumba escavada em Saqqara, datada de 2 330 a.C, indica que os antigos egípcios conheciam um método de tratamento semelhante.

Sabe-se que métodos similares também eram praticados na Índia e no Japão.
Algumas tribos de índios norte-americanos (em especial índios Cherokee) usavam uma versão de terapias na sola dos pés desde o século XVII e continuam a aplicá-la até hoje como parte de seu ritual de cura.

Em 1582, um livro europeu sobre Terapia Zonal foi publicado pelos médicos Dr. Adamus e Dr. A’ tatis. Mas a base científica dos estudos dos reflexos tem sua origem nas pesquisas neurológicas realizadas na década de 1980 por Sir Henri Head, de Londres.
Em 1898, foi descoberta a existência de zonas de pele que se tornavam hipersensíveis á pressão quando um órgão ligado por nervos a certas regiões da pele apresentava alguma doença. Após anos de pesquisas clínicas, foi comprovada a existência daquilo que se tornaria conhecido como as “Zonas de Head” ou “Zonas de Hiperalgesia.”.

As pesquisas russas sobre reflexos começam a partir de uma perspectiva psicológica. Psicólogos liderados por Vladimir Bekhterev, fundador do Instituto Cerebral de Leningrado, aceitaram o desafio e atacaram-no através do estudo dos reflexos. Ivan Pavlov desenvolveu a teoria dos reflexos condicionados, uma relação simples e direta entre estímulo e uma resposta. Ele descobriu que qualquer estímulo pode funcionar como um estímulo condicionado para produzir uma resposta condicionada.

Ao que parece o Dr. Alfons Cornelius foi o primeiro a aplicar a massagem nas zonas reflexas. Segundo consta, em 1893, Cornelius sofreu uma infecção e, durante sua convalescença, recebeu massagem diária, passando a perceber o quanto era eficaz a massagem. Depois de examinar a si mesmo, determinou a seu massagista que trabalhasse apenas nas áreas dolorosas. Constatou que as dores desapareceram rapidamente e, em quatro semanas, estava completamente recuperado. Em 1902, publicou o manuscrito “Druckpunte” ou “Pontos de Pressão: Origem e Significado”.

Os europeus expandiram, assim, a pesquisa, mas o crédito de evidenciar a Reflexologia no mapa das Zonas Reflexas dos pés deve-se aos norte-americanos.

A Reflexologia é uma arte suave, uma ciência fascinante e uma forma eficaz de massagem terapêutica que conquistou um lugar de destaque no campo da medicina complementar. Ela é uma ciência porque se baseia no estudo fisiológico e neurológico, sendo também uma arte porque muitos dos procedimentos dependem da habilidade com que o terapeuta aplica seu conhecimento e da dinâmica que ocorrem entre o clínico e o beneficiário.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Reflexologia



Utiliza-se de estímulos em pontos específicos nos pés, identifica, previne e trata distúrbios e desequilíbrios emocionais.

● Ao estimular um ponto no pé envia-se uma mensagem ao cérebro (SNC), que por sua vez envia uma mensagem ao local a ser tratado (órgão).

Restabelecida a comunicação nervosa, o cérebro passa a enviar agentes corretivos e o equilíbrio do organismo é alcançado.

Uma grande quantidade de meridianos (canais por onde percorre energia) passam entre os dedos dos pés onde são ligados outras partes do corpo.

Nos pés existem milhões de terminações nervosas, todos os órgãos, glândulas e outras partes do organismo estão refletidos nos pés.

Sendo assim fica mais fácil de localizar estes reflexos e com pressão em uma área específica é capaz de tratar os mais diversos problemas de saúde.

Através dos pés é possível obter preciosas informações do estado geral do organismo do ser humano.

A Reflexologia é pouco conhecida, trabalha com os mesmos pontos da acupuntura.

Alguns médicos pedem ao paciente antes de sofrerem algum tipo de cirurgia, caminhar descalço na praia para poderem estimular os órgãos.

Esta técnica não é tão conhecida como a acunputura e achei muito interessante, pensando bem, alguns anos, tinha ouvido falar sobre esta técnica, porém, não com este nome.

Naquele tempo ouvi dizer que se pressionasse algum ponto específico do pé, poderia aliviar:

● Dor de cabeça

● Problemas na coluna

● Equilibrar a pressão arterial

● Vista cansada

● Nervo ciático

● Tratar prisão de ventre

● Ansiedade

● Labirintite

● Tensão nos ombros

● Perna inchada

● Artrite

● Asma

● Cálculos renais

● Colesterol alto

● Constipação

● Fortalecer as cordas vocais

● Dores nas costas

● Diabetes

● Auxiliar na digestão

● Enxaqueca

● Fadiga

● Fígado

● Inflamação

● Gases

● Tratar excesso de peso

● Soluços e etc…

Há reflexologia das mãos, trabalha-se os mesmo pontos que nos pés, as aplicações deve ser nos locais doloridos, dez minuto é o tempo máximo para cada membro.

E uma nova técnica é na água,chama-se reflexologia aquática.

Esta técnica realiza:

● Desbloqueio corporal

● Melhora na flexibilidade e consciência corporal

● Melhora do retorno sangüíneo linfático

● Solta a musculatura

● Melhora o fluxo sangüíneo no corpo todo.

Ao realizar esta técnica, na primeira sessão a pessoa já sente uma melhora considerável, podendo procurar a massagem sempre que se fizer necessário.

Existem vários profissionais na área, chamados de massoterapeutas, dispostos a colaborar por um bem estar, melhorando a saúde.

A reflexologia está ao alcance de todos, pois é um tratamento barato, proporciona um alívio imediato das dores.

Ela pode ser feita em casa também, pois é uma técnica fácil de ser assimilada.

Porém ela é contra indicada em alguns casos, para isso é necessário procurar um especialista que lhe informará se poderá ou não utilizar esta técnica.

Um alerta para todos é que não se deve utilizar aqueles chinelos que tem uma espécie de bolinhas como se fossem magnéticos, pois com isso a pessoa pode estar estimulando o tempo todo os órgãos do corpo, podendo gerar uma estafa no organismo.

Principalmente se a pessoa tem gastrite, usando este chinelo citado a cima,ela estará estimulando o estômago fazendo com ele aumente a produção de suco gástrico, onde a gastrite tende a piorar.

Outra contra indicação é que no calcanhar há um ponto abortivo e mulheres grávidas, não podem sofrer massagens nos pés.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Trabalhando o pé direito - Parte inferior do corpo


PÉ DIREITO 4 - TEORIA

Á medida que trabalha a zona abdominal e a parte inferior do tronco, o reflexologista está ciente de que muitos órgãos que compõem o aparelho digestivo e o sistema imunitário, estão localizados nesta parte do corpo. Os pontos reflexos para o fígado, a vesícula biliar e parte do intestino grosso só se encontram no pé direito, enquanto que os outros, tais como os dos rins e bexiga, se encontram nos dois pés.

FÍGADO
O fígado é o maior órgão interno do corpo, e se não estiver a funcionar devidamente a pessoa pode sentir um estado geral de mau-estar ou sintomas específicos, como o amarelado da pele e da parte branca do globo ocular e problemas digestivos. O ponto reflexo do fígado é bastante grande, atravessando a totalidade das cinco zonas da parte do pé. A vesícula biliar, ligada ao lado direito do fígado, desempenha um papel importante na digestão das gorduras e a armazena a bílis, que é produzida pelo fígado.

ESTÔMAGO
Tudo o que comemos e bebemos chega ao estômago, onde começa o processo vital da digestão, mas os problemas nesta área são tão comuns que podem ser considerados universais. Praticamente já toda as pessoas experimentaram, a dada altura, dores de estômago e indigestão, especialmente quando se encontram tensas, quando comem o que não devem, ou comem a "correr".

INTESTINO GROSSO
O pé direito é geralmente tratado antes do esquerdo, porque é aqui que se encontram os pontos reflexos para a parte inicial do intestino grosso. O terapeuta pode trabalhar as diversas partes do cólon na mesma ordem em que os produtos ingeridos viajam através dele, encorajando deste modo a circulação natural através do corpo. Qualquer líquido de que o corpo não necessite será filtrado e depois transferido pelos rins para a bexiga onde fica até ser expelido pela urina.

NERVO CIÁTICO
Começa nas zonas lombar e do sacro da coluna vertebral e passa através das nádegas até às coxas, descendo até aos joelhos. Problemas que afectem este nervo podem causar dores agonizantes


domingo, 18 de setembro de 2011

Vantagens da Reflexologia



Vantagens da Reflexologia
Nosso corpo é um campo de energia em constante movimento. Nesse campo, "circulação é vida e estagnação é morte", como dizia a Fisioterapeuta Eunice Ingham, a primeira reflexologista do Ocidente. A massagem terapêutica dos pés consegue eliminar bloqueios ao longo dos meridianos, estimulando o fluxo livre da energia vital e reequilibrando todo o sistema.

Como a Reflexologia faz isso? Provocando algumas alterações no organismo. Em resumo a terapia:

•Induz um relaxamento profundo
•Descontrai os músculos
•Melhora a circulação sangüínea e linfática, facilitando o transporte de oxigênio e nutrientes e a limpeza de toxinas celulares.
•Estimula a produção hormonal de endorfinas, que funciona no organismo como uma espécie de analgésico contra sensações de dor.
•É muito eficiente no combate ao estresse e seus efeitos maléficos
•Alivia situações de dor
•Relaxa a tensão nervosa e muscular
•Normalizava as funções de glândulas e órgãos
•Melhora os resultados da medicação
•Pode acelerar o processo de cura
•Promove o normal fluxo de energia vital
Calcula-se que cerca de 70% de todos os males que nos afligem sejam decorrência do estresse. Entre os sintomas podem estar: ansiedade, hipertensão, depressão, úlcera, indigestão, anorexia, dor de cabeça.

Como a primeira função - e consequencia - da reflexologia é relaxar o corpo, a técnica é muito eficaz no combate ao estresse e seus efeitos negativos.

Também o controle da dor é auxiliado pela reflexologia, graças ao aumento da produção de endorfinas. Por isso mesmo, a terapia pode ser indicada para casos de doenças como câncer, esclerose múltipla e aids, no sentido de reduzir o desconforto do paciente e melhorar um pouco sua qualidade de vida. Sempre, porém, ouça o médico de sua confiança. E só aplique a reflexologia com conhecimento e a aprovação desse profissional.

Congresso Internacional de Reflexologia em Portugal



Desde 0 dia 16, em Castro Verde, o Congresso Internacional de Reflexologia. Nesta iniciativa da Associação de S. Miguel para a Medicina Bioenergética, participam congressistas de vinte países diferentes. O Congresso vai contar com a apresentação de estudos científicos em torno da reflexologia assim como a partilha de informação sobre a temática.

Paul Rudé, presidente da Associação de S. Miguel para a Medicina Bioenergética, diz que a realização do evento em Castro Verde é uma mais-valia uma vez que dá a oportunidade aos congressistas de realizarem uma visita pelo concelho, onde “podem apreciar de perto a natureza, a gastronomia, o património, a cultura e as tradições do Campo Branco”.

O mesmo responsável refere que esta é uma oportunidade para os vários profissionais desta área poderem partilharem não só informação mas também técnicas uma vez que têm oportunidade de fazer experiências de reflexologia uns nos outros.


O Congresso Internacional de Reflexologia termina na segunda-feira.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Curso de Reflexologia - Lapa SP



SETEMBRO DE 2011
REFLEXOLOGIA Dias 17 e 18 (SAB/ DOM das 08:00 às 16:00 Hs.
VAGAS LIMITADAS
COM APOSTILAS E CERTIFICADO DE CONCLUSÃO
INFORMAÇÕES : CARLOS FERNANDES - FONE: 7283-4725 / 93109749
RUA SCIPIÃO Nº 382 –LAPA / SP
E-MAIL : qualidadevidakadush@gmail.com
Valor: antecipado R$80,00 – na data: R$100,00

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A Reflexologia Podal como ferramenta clínica da massoterapia chinesa Tuī Ná



Material da palestra sobre Reflexologia no Congresso do SATOSP 2011 setembro 8, 2011

A Reflexologia Podal como ferramenta clínica da massoterapia chinesa Tuī Ná”.

Demos foco nos mecanismos que fazem da Reflexologia Podal uma excelente ferramenta clínica, explicados pela lógica da Medicina Chinesa, e algumas chaves para um tratamento eficaz, especialmente a utilização do Caminho das Águas.

Para quem esteve no Congresso, ou se interessa pelo tema, disponibilizamos aqui o link para download da apresentação da nossa palestra: http://www.ebramec.com.br/downloads/refle.pdf

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Naturólogo fala sobre reflexologia



O Naturólogo Nestor Albani fala sobre reflexologia podal.

domingo, 11 de setembro de 2011

Humor



-Fina estampa- Crô faz massagem nos pés de um homem

sábado, 10 de setembro de 2011

Como trabalhar no pé direito





Quando se for trabalhar os reflexos da parte superior do corpo, o terapeuta terá de procurar indicações de bloqueamentos ou desequilíbrios na corrente de energia, e pequenas reações dolorosas nestas áeras, que não são invulgares.

OMBRO E BRAÇO
Quando se trabalham os pontos reflexos do ombro e do braço, é fundamental prestar atenção às articulações principais, incluindo a do ombro, do cotovelo, e a do pulso, para facilitar uma completa liberdade de movimentos. Tensão ou lesões que afetem os músculos, podem ser sentidos como pontos dolorosos nos pontos reflexos pertinentes.

TIROIDEA
A glândula tiroidea localizada na parte da frente do pescoço, regula vários aspectos do metabolismo. se não estiver a trabalhar convenientemente, a pessoa terá geralmente tendência a sentir-se adoentado.



PULMÕES
O bom funcionamento dos pulmões é indispensável porque esta é origem do fornecimento de oxigénio, tão necessário ao organismo, e por onde são expelidos os desperdícios de dióxido de carbono. Quaisquer problemas que afetem os pulmões podem resultar num abastecimento insuficiente de oxigénio às partes mais distantes do organismo. Várias doenças, como a asma, a bronquite e infecções no aparelho respiratório superior podem impedir que os pulmões funcionem com a sua capacidade máxima; a tensão e a ansiedade também podem impedir uma respiração normal.



PLEXO SOLAR
Ao tratar uma pessoa tensa, o reflexologista deverá prestar especial atenção à área reflexa que corresponde ao plexo solar, um conjunto de nervos localizados na parte superior do abdómen, logo abaixo do diafragma, para encorajar um relaxamento completo. O ponto reflexo do plexo solar tem grande importância quando se estão a tratar sintomas relacionados com a tensão e a ansiedade, bem como para promover um bom equilíbrio de energia, e relaxamento físico e mental.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Reflexologia e seus benefícios




Os Pés abrigam uma enorme rede de nervos responsáveis pelo comando dos movimentos, pelo equilíbrio e pelo transporte elétrico de sensações táteis de calor e de dor. Nossos pés levam e trazem mensagens, que são levadas para o sistema nervoso central e periférico. As 72 mil terminações nervosas que se encontram nos pés funcionam como zonas reflexas dos órgãos do nosso corpo. Por isso ao massagear os pés, você ativará e equilibrará o organismo como um todo, uma vez que essa massagem aumenta a circulação sanguínea, ativa o sistema imunológico e auxilia na eliminação de toxinas, o que é extremamente revitalizante.

De origem chinesa, o tratamento pelos pontos reflexos dos pés é um dos mais antigos que existem, cerca de mil anos. A teoria médica chinesa afirma que o homem é um microcosmo, onde se repetem, em escala miúda, as alternâncias das energias Yin e Yang que reinam em todo o universo.

Yang = que abrange todas as forças de caráter masculino, solar, ativo, resistente, dotado de claridade, calor, plenitude e positividade.

Yin = reunindo nele as características de obscuridade, flexibilidade, passividade, doçura, liquidez, fragilidade, vazio e negatividade.

A técnica do tratamento reflexológico é simples, a pessoa não precisa ter anos de experiência para aplicar a técnica com eficácia. Esta forma de terapia também é muito útil no tratamento de doenças e muito eficaz para evitar o aparecimento delas.

Com a reflexologia você conseguirá curar a sua doença ou até mesmo fazer com que o seu corpo fique totalmente energizado e da forma correta.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Doctor Feet presenteia participantes da 7ª Corporate Run, em São Paulo



Maior rede de serviços e produtos de podologia oferece massagens e vale-reflexologia aos atletas

As práticas esportivas, principalmente a corrida, exigem que os atletas profissionais ou de final de semana dediquem atenção redobrada com a saúde dos pés.

Para incentivar esses cuidados, a Doctor Feet irá oferecer gratuitamente sessões de massagem de reflexologia podal aos participantes da 7ª edição da Corporate Run, no dia 11 de setembro, na Cidade Universitária, em São Paulo.

O atendimento, que acontece das 8h às 11h, será realizado por podólogos da Doctor Feet em uma unidade móvel (trailer) adaptada com todo o conforto e equipamentos, dotada de ar condicionado e cabines individuais com cadeiras reclináveis.

Todos os inscritos na prova também receberão um voucher que dará direito a uma reflexologia que poderá ser feita em qualquer uma das lojas.

SERVIÇO: DOCTOR FEET NA 7ª CORPORATE RUN 2011 – São Paulo
Local: Cidade Universitária – USP/ São Paulo
Data: 11 de setembro de 2011
Horário de Atendimento: das 8h às 11h
Visite o site: www.doctorfeet.com.br

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Cuidar da saúde dos pés ajuda a evitar dores e problemas futuros

Conheça os prós e contras de cada calçado, os motivos que levam às cãibras e as vantagens do escalda-pés.

Cuidar da aparência dos pés, fazer as unhas, lixá-los e hidratá-los é fundamental. Mas também é preciso conhecer qual é o seu tipo de pé e de pisada na hora de comprar um sapato, por exemplo. Essa noção sobre si mesmo ajuda a evitar problemas ortopédicos e musculares.

A saúde dos pés foi tema do Bem Estar desta quarta-feira (31), que recebeu no estúdio a doutora em biomecânica Isabel Sacco e o preparador físico José Rubens D'Elia. Eles falaram sobre os prós e contras de vários tipos de calçados, escalda-pés, cãibras, salto alto, circulação e dor, entre outros assuntos relacionados.

O consultor de atividade física também passou uma série de alongamento que serve para todo tipo de pé, mas é mais importante para o cavo. Da mesma forma que é bom se alongar ao acordar, para melhorar a postura e esticar os músculos, é importante alongar os pés.

Os exercícios de fortalecimento, que podem ser feitos com uma toalha, também são importantes para quem usa muito os pés e vive se mexendo, correndo, andando, fazendo esporte e usando calçados apertados, impedindo movimentos naturais e fisiológicos.

O fortalecimento é especialmente indicado para quem tem os pés planos (ou “chatos”), porque ficam por inteiro em contato com o chão, principalmente a planta, parte mais atingida porque fica fraca e rebaixada.

5 dicas para os seus pés:

1 – Hidrate-os
As células da superfície da pele absorvem o hidratante e ficam mais saudáveis. Quando você deixa o pé seco, ele se machuca e abre pequenas rachaduras, que servem de porta de entrada para bactérias. O creme evita essas fissuras. Há duas coisas importantes para observar na hora de comprar um hidratante para os pés. Eles devem ter, preferencialmente, lanolina e vaselina. Também é bom evitar passar muita lixa, porque isso aumenta a calosidade e engrossa a sola.

2 – Observe-os ao final do dia
Ficar atento a calos, bolhas e manchas avermelhadas pode ajudar a entender se você está usando um sapato adequado ou não. Se você observa seu pé e percebe que o sapato está deixando-o marcado, pode ser um sinal de que precisa mudar de calçado. Às vezes, aumentar ou melhorar a amarração já pode ser suficiente.

3 – Opte pelo sapato mais flexível
Na hora de comprar um calçado, uma boa dica é sempre optar pelo mais flexível. Borracha dura e solados muito rígidos são problemas que prejudicam a todos, mas ainda mais quem anda muito. O movimento anatômico do sapato na hora de mover o pé é imprescindível.

4 – Para caminhadas, use amortecedor
Na hora de escolher um sapato para caminhar ou correr, é fundamental perceber se ele tem amortecedor. Quando você caminha, seu corpo recebe impacto. No dia a dia, amortecer essa pressão é importante, ainda mais para quem corre ou caminha por muito tempo ou quem está começando.

5 – Ande mais descalço
Andar descalço é bom porque preserva a saúde dos pés e mantém os músculos vivos, ativos, as articulações móveis e as juntas saudáveis. O pé é tão vivo quanto suas coxas, pernas e braços. Pé dentro de calçado é pé “enjaulado”, com pouca possibilidade de se mexer. Pode andar descalço com meia, para quem não gosta de andar com os pés diretamente no chão. Só é preciso cuidar com os idosos, que tendem a escorregar mais. Por isso, eles precisam de sapatos antiderrapantes.

Vantagens e desvantagens de 10 tipos de sapato:

1 - Plataforma: aumenta o risco de quedas, tira a estabilidade da caminhada, reduz a mobilidade e altera a forma de apoio em mata-borrão dos pés, que é esperada no andar normal.

2 - Salto alto com bico fino: muda a estrutura e a forma de andar, o bico comprime os dedos, encurta os músculos da batata da perna, aumenta a lordose lombar e favorece as cãibras nos pés e nas pernas.

3- Salto baixo com bico redondo: é melhor que o salto alto, e o bico arredondado é mais indicado para os dedos.

4 - Sapato tipo de boneca: não tem problemas, é confortável e tem o bico redondo e sem salto. Só é pouco flexível.

5 - Bota de cano alto com salto: o salto pode aumentar o risco de quedas ao tirar a estabilidade dos pés.

6 - Bota de cano baixo sem salto: é melhor, pois o cano baixo protege mais de torções em relação ao calçado que não é bota e não tem salto.

7 - Sapato social de homem: tem pouca flexibilidade. É preferível um sapatênis para quem caminha ou fica em pé por muito tempo.

8 - Sapatênis: é melhor que o sapato social, porque o cadarço ajuda a fazer o ajuste com o tamanho dos pés e é mais flexível. Também absorve mais o impacto do dia a dia.

9 - Tênis com solado alto: é muito ruim, prejudica a pisada e não favorece os pés. O problema está na altura do calcanhar, na distância dele em relação ao chão.

10 - Tênis para corrida e caminhada: não pode ter um amortecedor grande, 2 a 3 cm de altura, mas também não pode ter palmilha reta. Precisa ser flexível e confortável.

fonte:Globo.com