segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Atlas de Reflexoterapia (Dica de leitura)

Atlas de Reflexoterapia: Masajes Em Todo el Cuerpo Para Alcanzar ...

B. C. Kolster


El delicado método de curación de la reflexoterapia encuentra cada vez más adeptos entre nossotros. Es sencillo de aprender, aplicable em todas partes y puede proporcionar alivio a muchas de nuestras afecciones. Reúne cualidades ideales para el tratamiento propio o el de un compañero. El Atlas de Reflexoterapia es a la vez un consejero competente y una obra de consulta. Completo e ilustrativo, sirve de guía al lector interesado en la teoría de esta antigua forma de terapia y ofrece, con con sus numerosas ilustraciones y explicaciones paso a paso, un sencillo y fácil acceso a la praxis de las diversas formas de masaje: Reflexoterapia de los pies; reflexoterapia de las manos; Reflexoterapia de los pabellones auditivos; Reflexoterapia de la cabeza, seguín Yamamoto; Shiatsu. En esta obra el lector encontrará la más importantes afecciones cotidianas y las posibilidades de tratamiento con la reflexoterapia. Atlas de Reflexoterapia es una obra para todos los que deseen tener su salud

Editora: Editorial Libsa Sa
Autor: B. C. KOLSTER & ASTRID WASKOWIAK
ISBN: 9788466211703
Origem: Nacional
Ano: 2006
Edição: 1
Número de páginas: 256
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Significado de sonhar com PÉ


SIGNIFICADO: Muito bom sonho, para as viagens longas ou curtas, de negócio ou de turismo; pois denota que correrão de maneira esplêndida. Aproveite e visite amigos que estão afastados. Nos sonhos, o pé teria o significado de sexo masculino.

Quando aparecem em sonhos pés muito grandes, eles anunciam impedimentos nos projetos que se tem em vista. Se eles forem agradáveis aos olhos: haverá uma viagem muito boa. Lavar os pés corresponde ao fim de uma série de preocupações e aborrecimenos. Ter mais de dois pés deve ser interpretado favoravelmente. Seu próprio pé: inveja ou ciúme. Pé quebrado: perda de parente. Pé sujo: perigo. Pé descalço: infortúnio inesperado.
Acredite na sua sorte:

Jogo do bicho – Loteria Federal
BICHO=Cobra GRUPO= 9
DEZENA=35 CENTENA=635
MILHAR=7635

Loterias da Caixa Econômica Federal
Quina:
30 – 34 – 54 – 63 – 79
Megasena:
26 – 30 – 38 – 41 – 43 – 49
Lotofacil:
02 – 03 – 04 – 05 – 07 – 13 – 14 – 15 – 16 – 17 – 18 – 19 – 20 – 23 – 24
Timemania:
01 – 07 – 16 – 29 – 47 – 51 – 52 – 61 – 75 – 77

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Reflexos do pé direito

Trabalhar nas áreas reflexas da cabeça para aliviar sintomas como as dores de cabeça e os derivados de problemas psicológicos, como a insónia. A Glândula Pituitária tem um papel importante no controlo e regulação do controlo hormonal.

A área do pescoço pode ser importante se a pessoa sofrer de dores de cabeça ou se tiver alguma lesão ou rigidez. Problemas de coluna podem causar uma grande variedade de sintomas, incluindo as dores nas costas.


sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Reflexoterapia: A Microssíntese do Eu



Ver um mundo num grão de areia e um céu numa flor silvestre, ter o Infinito na palma da sua mão e a Eternidade numa hora. (poesia de William Blake)

Acima citei a Arte, agora, a Ciência, mas sempre com um certo receio ao aplicar metáforas envolvendo o científico e a Terapia Holística, pois algumas pessoas levam ao pé-da-letra... Pertinente pontuarmos que são analogias, paralelismos, já que nenhuma disciplina da dita "ciência" se ocupou em estudar os fenômenos de nossa profissão.

Para fins didáticos e de entendimento, pediremos emprestados à Física Moderna alguns conceitos da Holografia. O Holograma é um tipo de fotografia especial baseada na luz coerente (laser), inventada por Dennis Gabor (ganhador do Prêmio Nobel).

A placa holográfica aparenta ser um padrão incoerente de ondas; entretanto, quando iluminada por um laser adequado, surge como que pairando sobre ela, uma imagem tridimensional do objeto holografado. Uma das características interessantes da placa holográfica, é a de que, na hipótese de ser fracionada, qualquer "pedaço" do holograma é capaz de reproduzir a imagem TODA, embora com menos detalhes do que se obteria com o holograma inteiro. A holografia possibilita armazenar uma quantidade extrema de informações, com riqueza tridimensional.

Aplicando termos atuais sobre conceitos milenares, metaforicamente, podemos dizer que fazemos parte de e que somos um Holograma Universal, onde tudo está intimamente ligado entre si, nada ocorrendo ao acaso. Microcosmos que somos, nossas energias compõem uma holografia onde toda e qualquer informação psíquica/física se encontra assessível em qualquer parte de nosso ser.

Assim como os cientistas de hoje estudam o macroscópico corpo espelhado no microscópico DNA, os antigos projetavam o TODO de nosso eu, miniaturizado em qualquer região corpórea e por meio deste artifício, realizavam avaliações e até mesmo intervenções capazes de refletir no indivíduo por inteiro.

Por exemplos, analisando a iris (Iridologia), a língua (Semiologia da Língua), o pulso (Pulsologia), podemos realizar uma ReflexoLOGIA e obtermos um quadro sintético que espelha o estado geral da pessoa.

Já atuando seja nas mãos (Quiroterapia), ou nos pés (Podalterapia) ou nas orelhas (Auriculoterapia), além da avaliação, simultaneamente aplicamos a TERAPIA em si, via toque, ou agulhas, imãs, cores, dentre uma vasta gama de opções de ReflexoTERAPIAS.

Qualquer parte do corpo pode ser tomada como uma zona reflexa e, por meio dela, ativarmos uma série de recursos psicofísicos. Outrossim, especificamente na esfera emocinal (neste enfoque, denominamos de Calatonia, termo criado por Pethor Sandor), cada qual parece possuir um tropismo, uma tendência, para aflorar uma temática sob um prisma particular. Os pés, por exemplo, costumam provocar "insights" que enfocam sob um ângulo bastante primordial, básico, terreno, quase material, provocando o contato com traumas ligados à realidade primária. Já a orelha tende a produzir enfoques sob um prisma transcendente, transpessoal (expansão da consciência para além dos limites usuais do ego e da personalidade), levando, até mesmo, a estados alterados de consciência com sensações espirituais e religiosas. Por sua vez, as mãos apresentam ambos os aspectos acima relatados, com ênfase aos momentos atuais.

As teorias que explicam via "anatomia energética" a Reflexologia em nada elucidam essa diferenciação. Já através da análise da simbologia (símbolo é a melhor expressão possível para designar algo desconhecido ou incapaz de ser descrito por palavras) de cada região reflexa distinta, é que chegaremos a algum entendimento... Essa temática será analisada detalhadamente em um artigo à parte.

Com todas as ressalvas, vamos novamente emprestar da Ciência, um de seus episódios mais fascinantes. Trata-se da acalorada discussão para determinar se a luz é partícula (comportamento corpuscular, "matéria") ou onda ("energia"). Quando o experimento direcionava para a hipótese corpuscular, assim se comportava a luz; já quando a proposição era demonstrar sua natureza ondulatória, exatamente desta maneira a luz reagia. Ou seja, duas versões aparentemente antagônicas e autoexcludentes entre si, conviviam tal qual (metáfora, lembre-se...) yin e yang, em eterna oposição complementar e o que mais aguçou a imaginação era questionar como é que a luz "sabia" como se adequar aos experimentos divergentes...

Podemos criar uma analogia com o que constatamos perante os mais diferentes mapeamentos aplicados à Reflexoterapia. Autores discordantes, escolas diversas, cada qual com seus passionais defensores e críticos, nos brindam com mapas de certa semelhança, mas que não raro chegam a se contrariar radicalmente em alguns tópicos. Seria mais simples elegermos um preferido e desdenhar aos demais, contudo, o que constatei por experiência é que, tal qual a discussão partícula ou onda, todos os mapas estão RELATIVAMENTE (perdõe-me, Einstein...) corretos e se complementam, sem se excluir.

Havendo uma boa afinidade entre o Terapeuta Holístico e o mapeamento que elegeu e, claro, uma boa sintonia com o Cliente, neste as zonas reflexas como que atendem à expectativa e comportam-se em sincronicidade com o mapa adotado. Empaticamente, ocorre a adequação entre a zona reflexa e o padrão esperado...

Ilógico ? Impossível ? Com toda certeza... Contudo, discutir com fatos também não é lá muito racional... PRATIQUE, experimente e constate por si mesmo...


Henrique Vieira Filho - Terapeuta Holístico - CRT 21001, é autor de diversos livros da profissão, ministra aulas naCEATH - Comunidade de Estudos Avançados em Terapia Holística.

contato@sinte.com.br

(11) 3171-1913

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Reflexologia Podal – Friagem



Porque muitos ignoram as orientações da vovó? Será que tem fundamento essas observações de cuidados, algumas vezes exageradas?Será também as doenças respiratórias as mais comuns acometidas pela friagem?

Até hoje não há comprovação científica que a friagem provoca doenças do aparelho respiratório. Há sim, estudos que apontam as aglomerações de pessoas como uma via de transmissão de viroses. Segundo o setor de Vigilância Epidemiológica da Gripe, Vigigripe, da Universidade Federal de São Paulo, 90% dos vírus circulam em épocas de muito frio. Sabe-se também que as viroses são o caminho para as infecções por bactérias. O paciente com quadro viral pode evoluir para uma inflamação de ouvidos, bronquite infecciosa e, em último caso uma pneumonia se não for tratado.

A vovó tem razão, quando diz que não pode colocar o pé no chão. E a ciência explica que, uma alteração da temperatura do corpo de forma rápida(choque térmico), altera o sistema imunológico, tornando o organismo desprotegido.

Os pés possuem mais 70.000 mil terminais nervosos. É dessa forma que o corpo se comunica com o meio externo. É muito importante proteger os pés na época do inverno, pois essa atitude contribui e muito, na manutenção da temperatura do corpo por ação reflexa, no aumento da circulação sanguínea. Assim, o corpo todo é aquecido.

Quando o corpo é exposto ao frio acompanhado de vento, ocorre um encolhimento dos músculos. Essa ação muitas vezes vem acompanhada de dores nos músculos e nervos. Essa é uma reação normal do corpo para não perder temperatura, e assim preservar suas funções normais. Caso contrário pode desequilibrar o sistema imunológico.

Manter a temperatura do corpo, a umidade e a hidratação são meios fundamentais para manter o sistema de defesa do corpo equilibrado. Dessa forma, o organismo estará preparado para enfrentar qualquer invasão de vírus, de bactérias, seja pelo ar, pela alimentação, pela pele, etc.

A gripe e o resfriado são as doenças mais comuns do inverno. Mas ambas podem se instalar em qualquer estação do ano.

Nos casos de resfriado e gripes, em que ocorrerem por exemplo: sintomas de dores na nuca; dificuldade para respirar; dor de cabeça de forte intensidade ou com características diferentes das dores de cabeça que você costuma ter; febre acima de 39,5ºC ou que persista por mais de três dias, é melhor procurar um médico para evitar complicações, e certificar da gravidade.

Agora, é muito comum em períodos de frio o aparecimento da ciática e da câimbra. A ciática é uma inflamação no nervo que vai da coluna lombar, coxa, perna até o pé. Já a Câimbra é uma contração súbita da musculatura, com dor intensa por alguns segundos. Tanto a ciática quanto a câimbra podem estar relacionadas com má circulação sanguínea, rigidez muscular, má postura e estresse.

Reflexologia Podal e a Friagem

A Reflexoterapia age estimulando a circulação sanguínea e linfática, promovendo um relaxamento muscular, muito importante em tempo de friagem. O relaxamento muscular por sua vez, diminui a tensão, nutri os músculos e os nervos, possibilitando assim um bom funcionamento dos líquidos corporais. A hidratação contribui para um bom funcionamento das mucosas gástricas e respiratórias.

O objetivo com isso é evitar as congestões circulatórias, evitando que o corpo não consiga manter o equilíbrio da sua temperatura, e do metabolismo celular como um todo. Os músculos esqueléticos contribuem na regulação da temperatura, e é muito importante o seu funcionamento, pois, correspondem com 40% da massa corpórea. Um bom funcionamento do sistema muscular acarretará numa boa circulação, equilibrando assim o sistema imunológico.

Dicas para se proteger da friagem: Resfriados, gripes, ciática e câimbras.

-Repousar para manter o sistema imunológico funcionando bem;

-Beber bastante líquido para facilitar a circulação do sangue, tanto nos músculos como nas mucosas gástricas e respiratórias;

- Manter a flexibilidade alongando os músculos das pernas, dos braços e da coluna; pois são esses músculos os mais afetados na friagem.

-Evitar ar condicionado por muito tempo, porque ocorre uma desidratação do ar ambiente, ressecando assim o muco protetor que reveste as mucosas das vias aéreas. O ressecamento destrói anticorpos e enzimas que atacam os microorganismo invasores. A corisa(corrimento das narinas), é a eliminação dos agentes invasores pelo organismo.

-Proteger os pés com meias, se puder dois pares em tempos frios. Os pés são altamente sensíveis e, em função disso, por uma ação reflexa, o corpo todo receberá esse aquecimento, evitando a friagem, principalmente a noite.

-Os chás são bem vindo. Mantém o corpo aquecido, e as vias aéreas hidratadas. Nisso a vovó caprichou na dica.

Fonte:
Dr.Abnel Alecrim Andrade
Revista podologia

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Reflexoterapia


"Uma massagem nos pés promove o bem estar e combate
os distúrbios orgânicos, muitas vezes provocados
pela ansiedade e o estresse do dia a dia".


Reflexologia é a ciência que estuda os efeitos reflexos no corpo humano.
A sua utilização prática é denominada Reflexoterapia.

A Reflexoterapia é uma terapia complementar com fundamento de anatomia e fisiologia humana que previne e trata dos distúrbios orgânicos e dos desequilíbrios emocionais através de estímulos por pressões nas terminações nervosas em pontos específicos dos pés.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Reflexologia diminui riscos da hipertensão na gravidez


Gestantes com pré-eclâmpsia apresentaram melhora nos índices de pressão arterial após passar por sessões da massagem

Vencer o preconceito e o ceticismo, sobretudo dos profissionais de saúde, e dar respaldo científico a uma forma complementar de terapia ainda pouco estudada no Brasil é o maior desafio da enfermeira-obstetra e reflexologista Rosemeire Sartori de Albuquerque, em sua tese de doutorado na Unifesp.

Em seu estudo, Rosemeire avaliou o uso da reflexologia –massagem terapêutica que consiste em aplicar pressão sobre pontos específicos dos pés ou das mãos para causar efeitos reflexos em diversas partes do corpo— em gestantes com pré-eclâmpsia.

A doença está relacionada à hipertensão e afeta mais de seis milhões de gestantes por ano em todo o mundo. Além da elevação da pressão sangüínea, o distúrbio é caracterizado pela presença de proteína na urina (proteinúria) e, algumas vezes, inchaço nas mãos e no rosto.

Os resultados da pesquisa foram positivos. A análise estatística apontou índices significativos de diminuição da pressão sistólica (quando o coração se contrai para bombear o sangue para fora), e da diastólica (quando o coração relaxa entre as batidas), assim como do grau de edema entre as gestantes tratadas com reflexologia.

Os bebês também foram beneficiados: os filhos das mulheres que receberam a massagem tiveram melhor desempenho no teste de *Ápgar, que avalia as funções vitais da criança no primeiro e no quinto minuto de vida.
“Além dos resultados que apareciam nos exames clínicos, as próprias gestantes também relatavam passar por um grande bem-estar durante a massagem. Elas diziam que as dores nas costas diminuíam e que sentiam mais os movimentos do bebê”, diz Rosemeire.

A pesquisadora selecionou 29 mulheres com diagnóstico confirmado de pré-eclâmpsia para receber a massagem e outras 30 gestantes, que também tinham a doença, mas não receberam a reflexologia, atendidas em um hospital de referência para alto risco em São Paulo. Todas as pacientes tomavam medicamentos para controlar a pressão. Foram comparados o índice de pressão arterial, grau de edema e nível de proteinúria entre os dois grupos. A avaliação das pacientes, de acordo com a pesquisadora, foi feita com base na leitura dos prontuários médicos.

Segundo a enfermeira, é possível perceber, apenas olhando para os pés, em qual parte do organismo se encontra o problema, mas não se pode saber com exatidão qual a doença. O diagnóstico se baseia na disposição dos sinais existentes, como áreas vermelhas ou inchadas e calosidades, de acordo com o mapa dos pontos reflexos existente nos pés (figura acima).

Desconhecimento

A falta de pesquisas que envolvam a reflexologia no Brasil faz com que haja dúvidas sobre sua eficácia. Mesmo assim, uma resolução do Conselho Regional de Enfermagem (197/97) reconhece a técnica como especialidade facultada aos enfermeiros.

“Há muito o que se estudar ainda sobre esse tipo de terapia, mas a pesquisa já abriu um caminho”, diz a professora Massae Noda Chaud, orientadora do estudo.
Na opinião de José Roberto Leite, coordenador da unidade de Medicina Comportamental da Unifesp, há uma grande carência de pesquisas científicas sobre esse tipo de terapia. “São iniciativas assim que vão consolidar práticas que ainda não têm o respaldo necessário para serem mais difundidas. Se for comprovada sua eficácia, poderemos economizar recursos e diminuir o uso de remédios.”

O baixo custo foi um dos fatores que fizeram a Prefeitura de São Paulo investir na adoção de práticas como acupuntura e fitoterapia na rede municipal de saúde. “São terapias eficazes e que podem ser levadas a vários lugares, além de serem muito bem aceitas pelos usuários”, afirma Emílio Telesi Júnior, assessor técnico da Secretaria Municipal da Saúde.

* Ápgar – Teste que avalia as funções vitais dos bebês como:

-Frequência Cardíaca
-Frequência Respiratória
-Coloração da pele (Amarela, Cianótica...)
-Temperatura

Link Original da Noticia:
www.unifesp.br/comunicacao/jpta/ed182/pesquisa6.htm
Jornal da Paulista
Unifesp – Universidade Federal de São Paulo

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Reflexoterapia reduz efeito de Quimioterapia


Apesar das poucas pesquisas no Brasil sobre reflexologia, o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo reconheceu a técnica como uma especialidade desses profissionais. “A técnica é encarada como uma terapia complementar. Não podemos dizer que esse tratamento cura, pois não há estudos científicos comprovando esta teoria”, afirma a reflexologista Rosemeire Sartori de Albuquerque.

De acordo com a especialista, a oncologia é uma das áreas da medicina que mais usam a técnica. Os pacientes com câncer relatam redução dos efeitos colaterais da quimio e radioterapia.

A reflexologia é uma ciência que nasceu na China, há cerca de 5 mil anos antes de Cristo. O documento que descreve a prática deste método foi encontrado em escavações no Egito. Os arqueólogos localizaram um pictagrama produzido em torno de 2.500 anos antes de Cristo, na tumba do médico egípcio Ankmahor. No Brasil, a técnica chegou na década de 90.

O método é bastante semelhante à acupuntura, pois também baseia-se na terapia energética (as linhas de energia ligam as mãos e os pés a diversas partes do corpo, permitindo que todo o organismo seja tratado). A grande diferença está na ausência das agulhas e no uso dos pés. As mãos também são usadas, mas com menor intensidade.

Fonte:DIÁRIO DE S.PAULO

domingo, 20 de fevereiro de 2011

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Reflexologia aplicada na odontologia


Dentes, face e pés - uma nova experiência odontológica

Nova York (CNN) - Diga a palavra "spa" e a maioria pensará em relaxamento. Diga a palavra "dentista" e pelo menos um em sete americanos pensará em "ansiedade ", "dor" e "medo".

De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention, menos de dois terços dos americanos adultos visitaram o dentista nos últimos 12 meses. Outro fato largamente comentado é o de que apenas metade da população americana recebe tratamento dentário regular. Assim , alguns dentistas estão mudando suas práticas para que a experiência odontológica seja mais relaxante para a maioria dos indivíduos.

Técnicas de spa como a reflexologia - massagem estratégica dos pés - podem auxiliar no relaxamento de pacientes ansiosos. É uma técnica utilizada pelo dentista novaiorquino Dr Paul Tanners.

Tanners insiste que seu consultório dentário na Madison Avenue não é um spa odontológico. Ele apenas oferece a seus pacientes a oportunidade de terem os pés massageados durante o tratamento dentário.

Apesar de os pacientes não esquecerem que estão sob um tratamento odontológico, podem também focalizar nos pés.

A última vez que Gary Weinstein esteve no consultório do Dr Tanner, permaneceu por mais vinte minutos, apesar de o trabalho do dentista já haver sido terminado.
Weinstein culpa a reflexologia, revelando não ser ruim ter pés, mãos e braços massageados.

Coração esperto

O relaxamento de pacientes durante procedimentos dentários é grande parte do trabalho da terapeuta Iza Everett, que trabalha principalmente nas solas dos pés.
Everett trabalha em consultórios odontológicos e também no New York's Gloria Cabrera Salon and Spa. Revela que a reflexologia para pacientes em consultório dentário é extremamente compensadora, uma vez que realmente se percebe o quanto isso é útil para que os pacientes superem a ansiedade e melhorem a saúde dos dentes.

De fato, a American Dental Association recomenda o uso de técnicas para redução de stress - principalmente nos pacientes com doença cardíaca. Isso inclui a marcação de consultas curtas pela manhã .

Como Weinstein já teve duas válvulas cardíacas substituídas, mesmo um simples procedimento de limpeza dos dentes traria risco de endocardite bacteriana - doença muito grave.

Com a redução do risco de ataque cardíaco pelas técnicas de relaxamento e com o monitoramento dos sinais de endocardite bacteriana, muitos progressos poderão ser feitos pelos dentistas no tratamento de pacientes como Weinstein.
Ainda há mais ...

Dr. Tanners também oferece aplicação de botox para seus pacientes ocupados. No dia de sua consulta odontológica, Weinstein também recebeu aplicação de botox pelo qualificada cirurgiã plástica Dr. Michelle Zweifler.

Outra paciente regular do Dr Tanner, Shirley Asencio, vem recebendo aplicações regulares na região das sombracelhas. A paciente esclarece que em um só local pode ter vários problemas resolvidos.

Zweifler, que também atua em seu consultório particular em Nova York, agenda procedimentos como botox enquanto o paciente se trata na cadeira odontológica. A cirurgiã afirma que se trata de extensão natural do trabalho odontológico.

O procurador David Rabbach gosta do dentista. Alguns dias ele mesmo deseja passar uma a duas horas na cadeira do consultório, alegando sair mais estressado do que chega.

O procurador revela que a massagem nos pés vem mesmo trazendo mais sucesso no trabalho. Sorrindo, ganha-se mais dinheiro. Como os clientes geralmente são muito ocupados, é excelente resolver várias questões em uma só ocasião. É o que revela outro procurador - Yoshi Shimada.

Apesar de os ruídos dos motores continuarem a ser ouvidos, a ansiedade geralmente associada parece ter sido minimizada pelo tratamento tipo spa.

Link Original da Noticia:
http://www.odontologia.com.br/noticias.asp?id=213&idesp=32&ler=s
Site: Medcenter.com Odontologia

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Hipertireoidismo e a Reflexologia Podal


É o excesso de funcionamento da glândula tireóide, e em função disso, ocorre um conjunto de sinais e sintomas no corpo.

Como evolui

Os sinais e sintomas surgem em função do excesso de funcionamento da glândula tireóide ou da ingestão dos hormônios da tireóide.

As principais causas desse aumento de funcionamento

Bócio difuso tóxico (Doença de Basedow-Graves)
O bócio difuso tóxico é uma doença auto-imune na qual o organismo produz anticorpos que estimulam a produção e a liberação de hormônios pela tireóide.

Bócio multinodular tóxico
O bócio multinodular tóxico em geral é uma moléstia de evolução lenta na qual ocorre proliferação de diversos folículos da glândula, formando diversos nódulos, algumas vezes volumosos e visíveis.

Bócio uninodular tóxico (Adenoma Tóxico)
Os adenomas são nódulos únicos, em geral com mais de 3 cm de diâmetro, que produzem em excesso os hormônios da tireóide.

Os Sintomas apresentados pelos pacientes são:

- fome excessiva
- nervosismo, insônia, labilidade emocional
- aumento do ritmo intestinal
- tremores
- intolerância ao calo
- emagrecimento
- unhas quebradiças, cabelo seco, quebradiço e encaracolado.
- pele quente e úmida

Diagnóstico

A suspeita clínica é a melhor maneira de buscar um diagnóstico em paciente portador dos sintomas. Os pacientes nos quais se investiga a causa de uma arritmia cardíaca, ou dor abdominal associada a emagrecimento (principalmente do paciente idoso). O exame laboratorial é estabelecido pelas dosagens de TSH e T4 (Hormônios da tereóide) no sangue. Se os valores de T4 estiverem aumentados e os de TSH reduzidos, o paciente é portador de hipertireoidismo. É necessário então investigar sua causa, que pode ser auto-imune, uni ou multinodular. Este diagnóstico é estabelecido pela presença de anticorpos anti-receptor do TSH (TRAB), pela captação de iodo e cintilografia da tireóide e pela ultra-sonografia da tireóide. E não se pode esquecer, que a esse diagnóstico, cabe ao médico.



A Reflexologia Podal e a Hipertireoidismo

O tratamento pode dirigir-se para a regulação do excesso hormonal e/ou para sua causa. Cabe ao reflexoterapeuta, que diante de sinais e sintomas que podem sugerir um distúrbio de tireóide, orientar o paciente a procurar um endócrinologista, afim, de realizar o diagnóstico.

O objetivo da Reflexologia Podal é combater os sinais e sintomas da hipertireoidismo, como por exemplo : nervosismo, insônia, labilidade emocional, fazendo com que o organismo reaja aos estímulos promovidos pela Reflexologia, buscando o poder curativo do corpo. É muito importante no tratamento, regular o funcionamento do sistema endócrino, sistema nervoso, e estimular o sistema digestivo com o objetivo de captar e absorver os nutrientes nescessários para o metabolismo da tireóide. Estimular os sistemas excretores do corpo (Sistemas Urinário, digestivo, tegumentar, e Respiratório), se faz necessário para que, seja possível a homeostasia (Equilíbrio) do organismo. Sendo assim, estaremos estimulando o poder de cura do corpo, possibilitando bem estar e dias melhores a esse paciente.

fonte: Podologia Hoje

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Casos de micose aumentam no verão


O verão - quando o tempo está realmente quente - tem tudo para ser agradável, não fosse a época crítica para o aparecimento das indesejáveis doenças de verão.

É na estação quente em que algumas patologias aparecem e incomodam quem não se cuida devidamente. O principal alvo das chamadas doenças de verão é a pele.

As altas temperaturas geram problemas como a micose de virilha. Isso se deve ao aumento do suor e o uso de roupas de banho molhadas durante muito tempo, com isso, a umidade local aumenta, favorecendo o crescimento de fungos nessa região.

“As micoses também podem atingir a pele, as unhas e os cabelos. Elas são causadas por fungos que se alimentam da queratina, substância presente nas três áreas citadas”, diz a dermatologista Ana Lúcia Recio, de São Paulo. Quando os fungos encontram condições favoráveis ao seu crescimento, como calor, umidade e imunidade baixa, eles se reproduzem e passam então a causar a doença.

Micose de unha

A famosa micose de unha pode ser contraída pelo solo, lava-pés de piscinas etc. Mas, o meio de infecção mais temido é através do uso de alicates e tesouras contaminados. Nesse caso, é importante ficar atento à esterilização e limpeza dos materiais usados nos salões de beleza. As unhas mais afetadas são às dos pés, pois o ambiente úmido, escuro e aquecido dentro dos sapatos e tênis favorece o seu crescimento. Portanto, no verão, valoriza-se o uso de sandálias e chinelos.

“Deixe sempre para ventilar o tênis usado no dia. No dia seguinte, prefira usar um outro par”, diz a dermatologista Ana Lúcia Recio. “Secar-se bem após os banhos e evitar ficar com roupas molhadas por muito tempo são boas atitudes também”, complementa.

A mesma opinião tem o presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Marcio Rutowitsch. Ele explica que “a micose é uma doença muito freqüente no verão porque o agente causal, um fungo, se encontra na superfície da pele. Assim, quando a pessoa se expõe ao sol, principalmente sem usar um fotoprotetor, o local onde se encontra o parasita não bronzeia, surgindo um contraste entre o local sadio (mais bronzeado) e a área doente (mais clara), e fica mais fácil fazer o diagnóstico. Por isso, a micose parece ser a principal doença de pele do verão, apesar de, na maioria das vezes, ela já estar na pessoa antes do verão se iniciar. Por outro lado, a freqüência dessa doença aumenta muito nestes meses.”

Para tratar, ele diz que “existem no mercado numerosos produtos antimicóticos de uso tópico (local), como cremes, loções e até mesmo sprays. Quando o diagnóstico é confirmado, o tratamento resolve o problema ao final de 10, 15 dias”. Quando ocorre em grandes áreas do corpo, porém, o especialista recomenda adicionar ao tratamento um antifúngico via oral.

Para evitar, a palavra médica é que “parece haver uma predisposição individual e genética à micose. Deste modo, algumas pessoas adquirem micose superficial e outras não.”

Fonte:
http://www1.uol.com.br/cyberdiet/colunas/040206_bel_micose.htm
Por Christianne Valente

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Reflexologia é uma terapia complementar


É sim uma terapia complementar pelo que deverá sempre recorrer ao seu médico e seguir a medicação proposta. Sendo assim, a Reflexologia poderá ser utilizada como complemento à medicina convencional, facilitando normalmente o processo de cura. Não é uma forma de massagem e tambem não é uma medicina tal como esta é praticada por médicos convencionais ocidentais.

Simplificando, a REFLEXOLOGIA não é uma massagem nos pés,e não é um tratamento médico. Em primeiro lugar é importante salientar que um terapeuta de reflexologia NÃO FAZ DIAGNÒSTICOS, nem pratica medicina, pelo que também NÃO FAZ PRESCRIÇÕES.

E são estas as Máximas aprendidas nos cursos como regra infálivel nesta area!! Desta forma, a REFLEXOLOGIA trabalha com o fluxo de energias subtis, que revitalizarão o corpo para que sejam acionados os mecanismos auto-curativos do próprio organismo, e estes façam o seu trabalho. Pois não é o TERAPEUTA quem produz os resultados,este é apenas um CANAL CURATIVO. O próprio organismo é responsavel pela cura. O Terapeuta limita-se a provocar o estímulo necessário para que seja atingido o estado de equilibrio, a que nós chamamos de homeostase.

TODAS as pessoas sem excepção podem usufruir de tratamentos de reflexologia desde bebés, crianças, adultos (incluindo as grávidas), e idosos. Pois esta terapia tem sobretudo a vertente preventiva o que faz dela uma ferramenta eficaz em qualquer faixa etária. Proporcionando o bem estar geral necessário para que o sistema imunitário responda de forma adequada aos ataques exteriores a que somos atingidos diariamente.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A Reflexologia como terapia holística



Na medicina moderna ignora-se largamente os aspectos emocionais e espirituais relacionados com a saúde e o processo curativo.As TERAPIAS HOLÍSTICAS tratam a pessoa como um TODO.

A filosofia holística trata a pessoa como uma unidade completa em vez de se encarregar de partes individuais.Desta forma tenta-se harmonizar as dimensões emocionais, mentais, espirituais, sociais e físicas da pessoa e coloca-se em relevo o papel da terapia ou tratamento que estimula as capacidades curativas da própria pessoa a ser tratada.

Enquanto que a MEDICINA CONVENCIONAL coloca em primeiro lugar a importância de fatores patogénicos(bacterias, fungos, vírus, agentes ambientais), como causa da doença, as terapias holísticas afirmam que uma diminuiçao na resistencia, provocada por maus habitos e stress mental e físico tornam o corpo mais suscetível à doença.


Pelo que, as terapias holísticas dão muita importancia à interaçao entre o corpo vivo e o espirito, o que na realidade significa orientar as pessoas na sua caminhada pela vida e ao mesmo tempo ajuda-las a encontrar a paz e alegria interior. A pessoa nunca é vista como um doente que tem que ser curado mas sim como um aluno a quem é preciso ensinar algo mais sobre como viver melhor.

Desta forma TERAPIA HOLÍSTICA-(Terapia = harmonizar, equilibrar; Holística = do grego holus: totalidade)- proporcionam mais Qualidade e Bem-Estar através de uma somatória de técnicas milenares e modernas, sempre suaves e naturais, proporcionando harmonia, auto conhecimento e incrementando sua capacidade de ser bem-sucedido.

EXEMPLOS:A medicina das antigas culturas, tais como a Ayurverda indiana, a Medicina Tradicional Chinesa (é aqui que se insere a Reflexologia), a Medicina Tibetana,Homeopatia, Medicina Funcional, foram refinadas por muita gente ao longo dos milénios, geralmente como a única forma de medicina disponível na altura.o que TODAS têm em comum, para além de oferecerem um "pacote de cuidados" geral baseado numa filosofia particular, é a sua capacidade de dar atenção a todos os aspectos de uma pessoa.

Tanto na preservação da saude, na capacidade de auto-cura e ligação mente-corpo. SÃO TODAS TERAPIAS VERDADEIRAMENTE HOLÍSTICAS - respeitando a totalidade da pessoa.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Terapia Su-jok


Su Jok em coreano, significa, literalmente, Mão Pé. ( Su = mão / Jok = pé)

Terapia idealizada pelo cientista sul-coreano, professor Park Jae Woo, baseada nos sistemas de correspondências das mãos e dos pés.



Sua prática no Brasil iniciou-se por volta do ano 2000, e a partir disso, vem se espalhando pelo país.

Segundo o sistema de correspondências, toda parte do corpo tem uma área correspondente nas mãos e nos pés, que quando acionados, controlam a saúde do corpo e, naturalmente, as enfermidades do mesmo. surtirá efeito.

O professor Park Jae Woo afirma, que sendo este sistema fruto da natureza na qual o homem é parte integrante, o homem é apenas o descobridor de seus efeitos, e é aí que está enraizada sua força e segurança. A estimulação correta dos pontos de correspondência produzem o efeito curativo. Já o uso indevido, ou a não localização do ponto de maneira correta, não prejudicará nada. Nada de ruim irá acontecer. Simplesmente, não surtirá efeito.


A natureza manifestou claramente seu objetivo e demonstrou seu grande amor e ajuda ao ser humano enfermo, quando estruturou as mãos e os pés de forma idêntica ao corpo humano. O que falta é apenas a orientação para que se possa valer deste dom, pois a única ferramenta necessária é a localização correta do ponto correspondente e a estimulação do mesmo com um apalpador, que em últimos casos, pode ser a própria unha.

Material para a Terapia de Su-jok:



domingo, 13 de fevereiro de 2011

Reflexologia para Dor nas Costas ( dica de leitura)

Reflexologia para Dor nas Costas

Fácil de usar e profundamente relaxante, a reflexologia funciona para restaurar a energia do seu corpo para que ele cure a si mesmo. Pela simples aplicação de pressão nas áreas reflexas nos pés é possível remover bloqueios existentes na circulação da energia no corpo e abris os canais para a cura natural. A dor nas costas atinge pelo menos 80% das pessoas em algum momento de suas vidas, causando a perda de milhões de dias de trabalho e superlotação nos ambulatórios dos hospitais. Em Reflexologia para Dor nas Costas, Ann Gillanders pela primeira vez dedica um livro voltado apenas para a dor nas costas.

Totalmente ilustrado, o livro traz também novos mapas dos pés, mostrando pontos de reflexologia específicos para as costas e exercícios úteis para serem praticados paralelamente às seqüências do tratamento. A reflexologia, antiga terapia egípcia em que as áreas reflexas nos pés são estimuladas para atingir órgãos e partes do corpo, é praticamente indicada para problemas nas costas. O efeito interrompe a dor, melhora o nervo e os vasos sangüíneos que o nutrem, relaxando o corpo, a mente e o espírito.

Editora:Pensamento
Autor:ANN GILLANDERS
ISBN:8531514290
Origem:Nacional
Ano:2006
Edição:1
Número de páginas:128
Acabamento:Brochura
Formato:Médio

Humor


sábado, 12 de fevereiro de 2011

Reflexologia ganha cada vez mais adeptos


A técnica milenar chinesa que equilibra o fluxo de energia e promove o relaxamento através do toque dos pés é cada vez mais procurada por pessoas com problemas físicos e emocionais.

A chamada reflexologia, presente em casas de massagem e de terapias alternativas, garante aliviar sintomas como depressão e ansiedade, além de dores musculares.

Os terapeutas dizem que os pés abrigam quase 70 mil terminações nervosas, e que elas funcionam como uma ponte de ligação com os músculos, nervos, glândulas e órgãos do corpo. Sendo aplicada a devida pressão, o fluxo de energia do corpo é equilibrado e os problemas deixam de existir.

Entre as principais funções da reflexologia, segundo os terapeutas, estão melhorar o sistema imunológico, a circulação e a função mental, além de tratar de dores musculares e na coluna, asma, problemas no estômago e sintomas como insônia e estresse.

As sessões duram em média 45 minutos, e os preços médios variam de cidade para cidade. A reflexologia pode ser associada a outras terapias orientais, como shiatsu e reiki, por exemplo.


(Agência Graffo)

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Reflexologia em poesia


Tocar nos pés não é fazer uma simples massagem ...
É passar para o espírito uma doce mensagem !
Pegar ponto por ponto é uma aventura sem medo !
A massagem nos pés vira reflexologia ...

Quando no toque existe uma bela poesia !
Tocando nos seus pés tudo se transforma ...
Até a paisagem muda de lugar e forma !
Meus dedos viram areia bem perto do mar ...

Assim você caminha pelos sonhos no ar !
Meus dedos viram grama numa verde paisagem ...
Seus pés caminham na mais leve paisagem !
Meus dedos viram nuvens no meio do céu ...

Nos seus pés surgem asas feitas de mel !
Assim eles voam no paraíso da fantasia ...
Sem perceber direito que há reflexologia !
Cada toque nos pés mexe com algo diferente ...

E desvenda o mistério de uma paixão fremente !
Tocar nos pés não é fazer uma simples massagem ...
É passar para o espírito uma doce mensagem !
O mapa do corpo está nos pés em total segredo ...

Pegar ponto por ponto é uma aventura sem medo ...


Luciana do Rocio Mallon

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Massagem localizada, efeitos globais


Descubra a reflexologia, uma terapia suave e relaxante que pode ajudar você a se manter saudável e a ter um sono tranquilo ao massagear pontos específicos dos pés e das mãos

De maneira geral, a reflexologia é caracterizada como uma forma extremamente eficaz de massagem terapêutica que trabalha por meio de pressões controladas em pontos reflexos, ou seja, em pontos que se comunicam diretamente com nossos órgãos vitais. Assim, esta técnica baseia-se no princípio de que existem áreas nos pés e nas mãos que correspondem a cada órgão, glândula e estrutura no corpo.

“Ao trabalhar nesses pontos reflexos, reduzimos a tensão em todo o corpo, proporcionando um equilíbrio” .

Os resultados da reflexologia dependem de uma participação ativa do paciente. Se a pessoa que recebe a massagem não acreditar no tratamento, a técnica não poderá ajudá-lo, afinal, é uma cura de dentro pra fora.

Mas acreditando ou não nos poderes da reflexologia, é fato que receber uma boa massagem nos pés é extremamente gostoso e relaxante. Então, se alcançar o relaxamento e conquistar um sono tranquilo é seu objetivo, vale experimentar algumas técnicas da reflexologia, como as que você confere a seguir.

Pés e cabeça nas nuvens
Confira a seguir como fazer uma relaxante reflexologia podal para combater a insônia.

1- Fique em uma posição em que você consiga massagear de maneira adequada seus pés. Por exemplo, sente-se, com os pés bem apoiados no chão, e depois cruze as pernas, de modo que você apóie o ossinho do tornozelo direito sobre a coxa esquerda.

2- Com uma das mãos segure o pé e com a outra, o dedo polegar desse pé. Rotacione o polegar no sentido horário, faça movimentos firmes e vigorosos. Conte dez segundos e parta para o dedo vizinho.

3- Repita o movimento rotatório em todos os outros dedos até chegar ao dedo mínimo.

4- Massageie agora o peito do pé. Utilize todos os dedos da mão, menos polegar, para massagear o peito do pé em um movimento de sobe e desce. A outra mão serve apenas de apoio, por isso, deixe-a segurando o tornozelo.

5- Depois, faça pressões moderadas na sola do pé com seu polegar. Percorra toda a planta do pé, detendo-se naqueles pontos que lhe parecerem mais doloridos. As pressões devem ser feitas de uma maneira firme, mas com cuidado para não machucar.

6- Agora, segure a ponta do pé, faça movimentos giratórios, mantendo o tornozelo fixo.

7- Para finalizar a massagem faça movimentos de deslizamento nos pés com ambas as mãos, ou seja, imagine que você está passando um hidratante no pé com as duas mãos e começa a fazer movimentos sincronizados a partir da ponta dos dedos e desce até o tornozelo.

8- Repita todos os movimentos no outro pé!


Dica!
Antes de começar a massagear os pés, promova uma boa higienização neles. Se preferir, faça um escalda-pés. Para isso, basta aquecer uma quantidade de água suficiente para cobrir os pés em uma bacia. Se quiser, acrescente nesta água, algumas gotinhas de óleo essencial com um aroma e algumas pétalas de flores perfumadas de sua preferência. Permaneça com os pés imersos durante uns quinze minutos ou até a água esfriar. Depois, é só secá-los e escolher um bom hidratante para facilitar os movimentos da massagem. Quer mais uma sugestão? Como a área dos calcanhares costumam ser mais ressecadas, cremes à base de uréia são os mais indicados para promover uma boa hidratação.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Reflexologia e Distimia


Os traços essenciais da distimia são o estado depressivo leve e prolongado, além de outros sintomas comumente presentes. Pelos critérios norte americanos são necessários dois anos de período continuo predominantemente depressivo para os adultos e um ano para as crianças sendo que para elas o humor pode ser irritável ao invés de depressivo.

Para o diagnostico da distimia é necessário antes excluir fases de exaltação do humor como a mania ou a hipomania, assim como a depressão maior. Causas externas também anulam o diagnostico como as depressões causadas por substancias exógenas. Durante essa fase de dois anos o paciente não deverá ter passado por um período superior a dois meses sem os sintomas depressivos. Para preencher o diagnóstico de depressão os pacientes além do sentimento de tristeza prolongado precisam apresentar dois dos seguintes sintomas:

• Falta de apetite ou apetite em excesso
• Insônia ou hipersonia
• Falta de energia ou fadiga
• Baixa da auto-estima
• Dificuldade de concentrar-se ou tomar decisões
• Sentimento de falta de presença

Característica associadas
Estudos mostram que o sentimento de inadequação desconforto é muito comum, a generalizada perda de prazer ou interesse também, e o isolamento social manifestado por querer ficar só em casa, sem receber visitas ou atender, e o isolamento social manifestado por querer ficar só em casa, sem receber visitas ou atender o telefone nas fases piores são constantes. Esses pacientes reconhecem sua inconveniência quanto à rejeição social, mas não conseguem controlar. Geralmente os parentes exigem dos pacientes uma mudança positiva, mas isso não é possível para quem está deprimido, não pelas próprias forças. A irritabilidade com tudo e impaciência são sintomas freqüentes e incomodam ao próprio paciente. A capacidade produtiva fica prejudicada bem como a agilidade mental. Assim como na depressão, na distimia também há alteração do apetite, do sono e menos freqüentemente da psicomotricidade.

O fato de uma pessoa ter distimia não impede que ela desenvolva depressão: nesses casos denominamos a ocorrência de depressão dupla e quando acontece o paciente procura muitas vezes pela primeira vez o psiquiatra. Como a distimia não é suficiente para impedir o rendimento, apenas prejudicando-o, as pessoas não costumam ir ao médico, mas quando não conseguem fazer mais nada direito, vão ao medico e descobrem que tem distimia também.
Os pacientes que sofreram de distimia desde a infância ou adolescência tendem a acreditar que esse estado de humos é natural deles, faz parte do seu jeito de ser e por isso não procuram um medico, afinal, conseguem viver quase normalmente.

Idade
O inicio da distimia pode ocorrer na infância caracterizando-a por uma fase anormal. O próprio paciente descreve-se como uma criança diferente, brigona, mal humorada e sempre rejeitada pelos coleguinhas. Nessa fase a incidência se dá igualmente em ambos os sexos. A distimia é subdividida em precoce e tardia, precoce quando iniciada antes dos 21 anos de idade e partia após isso. Os estudos até o momento mostram que o tipo precoce é mais freqüente que o tardio. Por outro lado estudos com pessoas acima de 60 anos de idade mostram que a prevalência da distimia nessa faixa etária é alta, sendo maior nas mulheres. Os homens apresentam uma freqüência de 17% de distimia enquanto as mulheres apresentam uma prevalência de 23%. Outros estudos também com pessoas acima de 60 anos de idade mostrou que a idade média de inicio da distimia foi de 55 anos de idade e o tempo médio de duração da distimia de 12 anos.

A comparação da distimia, os sintomas mais comuns são basicamente os mesmos. Os mais velhos apresentaram mais queixas físicas, enquanto os mais novos apresentam mais queixas mentais.

Curso
A distimia começa sempre de forma muito gradual, nem um psiquiatra poderá ter certeza se um paciente está ou não adquirindo distimia. O diagnostico preciso só pode ser feito depois que o problema está instalado. O próprio paciente tem dificuldade para determinar quando seu problema começou a imprecisão gira em torno de meses a anos. Como na maioria das vezes a distimia começa no inicio da idade adulta a maioriados pacientes tende a julgar que seu problema é constitucional, ou seja, faz parte do seu ser e não que possa ser um transtorno mental, tratável. Os estudos e os livros não falam a respeito de remissão espontânea. Isso tanto é devido a poucas pesquisas na área, como a provável não remissão. Por enquanto as informações nos levam a crer que a distimia tenda a permanecer indefinidamente nos pacientes quando não tratada.

Tratamento
Os tratamentos com antidepressivos tricíclicos nunca se mostraram satisfatórios, as novas gerações, no entanto, vem apresentando melhores resultados no uso prolongado. Os relatos mais freqüentes são de sucesso no uso da fluoxetina, sertralina, paroxetina emirtazapina.

A Reflexoterapia atuará junto com os medicamentos, fazendo com que eles tenham um resultado melhor, e também equilibrando o sono, o apetite, a auto-estima, a concentração, etc.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Reflexologia aplicada à esclerose múltipla


A Esclerose Múltipla é um conjunto de sintomas que provocam degenerescência, devido à falha de comunicação entre os axónios por perda/degradação da membrana de mielina (que poderá ser evitada pela ingestão de ácidos gordos: ómega 3, 6 e 9).

Início da Sintomatologia: 1. Neurite ótica (98% dos casos); 2. Espinal medula (de acordo com a zona afetada, irá afetar determinados órgãos); 3. Cerebelo (problemas de ataxia); 4. Visão (movimentos dos olhos); Causas possíveis: § As células T atacam o organismo (situam-se no baço e no fígado);
§ Países mais húmidos há uma maior incidência da doença (fígado não consegue arrefecer);
§ Países tropicais há uma menor incidência da doença;
§ Dieta rica em açúcar, glúten, lacticínios e peixe rico em mercúrio (espada e atum);
§ Genética: Filhos de pais com a doença têm 40-50% de maior probabilidade de desenvolver a doença;
§ Sarampo/ febre glandular (mononucleose): quando surge a doença numa fase mais tardia da vida maior a probabilidade de desenvolver a doença.

Tipos: 1. Benigno; 2. Remitente; (3/4dos casos) 3. Progressiva/ Secundária: vai piorando à medida que a doença se repete, o que pode levar até 20 anos e poderá chegar a primária; 4. Progressiva Primária: compromete funções vitais num curto espaço de tempo;

Sintomas: § Zumbido; § Formigueiro nos membros; § Perda de equilíbrio; § Perda de controlo de esfíncteres; § Perda de função sexual; § Dificuldade na concentração; § Ansiedade/ depressão; § Fadiga; § Alterações na linguagem e na deglutição; § Dor;

A sintomatologia na esclerose múltipla acentua-se com o calor e a humidade (p. ex.: com o Desporto). Em situações normais, quando o fígado aumenta a sua temperatura, o hipotálamo trata de baixá-la, equilibrá-la. Na esclerose múltipla, isso nem sempre acontece.

Curiosidade sobre o horário do fígado: 1:00 – 3:00: O fígado deve descansar; 13:00 – 15:00: É a hora que o fígado mais trabalha; Por exemplo, se formos a um jantar, o fígado irá buscar energia à bexiga, cuja hora de descanso é das 3:00 às 5:00.

NERVOS CRANEANOS – 12 PARES 1. Olfativo; 2. Ótico; 3. Oculomotor; 4. Troclear (movimentos de descida e subida dos olhos); 5. Trigémeo (sensação na face); 6. Abduto; 7. Facial; 8. Auditivo; 9. Glossofaríngeo, 10. Vago (Sistema Nervoso Autónomo); 11. Acessório Espinal; 12. Hipoglósseo (movimentos e sabor da língua); Nos pés, os nervos cruzam-se, por exemplo o olho direito corresponde ao pé esquerdo. Cruzam-se na nuca 9 pares cranianos Linha occipital Medula Ponte Linha occipital Hálux Direito Cerebelo Hálux Esquerdo Medula Ponte – Onde os primeiros pares de nervos cranianos se cruzam;

Algumas técnicas: § Fazer ligação Fígado – Hipotálamo (irá potenciar o arrefecimento do fígado); § Fazer ligação entre o olho afetado e o nervo ótico; § Fazer ligação cerebelo-ouvido interno (para problemas de equilíbrio); § Fazer ligação pâncreas-tiróide; § Trabalhar o baço; § Trabalhar a bexiga – Intestino Grosso; Para problemas nos Olhos – Trabalhar os Rins Para problemas nos Rins – Trabalhar os Olhos

[ MEDULA PONTE CEREBRAL Trabalhar: § Falange proximal do hálux, pressionar na zona esponjosa que se encontra em cima do osso e alternar a mesma pressão entre a zona esponjosa – osso – zona esponjosa (podemos fazer nos dois pés ao mesmo tempo); § Percorrer o reflexo da coluna beliscando até onde se consegue, ou seja, até à zona correspondente à L1 (começa o trato piramidal), muito devagar para não ficar zonas por trabalhar (esta técnica vai trabalhar os canais aferentes/ eferentes).

[ Situações de Fadiga trabalhar: § Zona do pâncreas, com as duas mãos ao mesmo tempo, no sentido dos ponteiros do relógio, durante cerca de 1 minuto e 30 segundo.

[ DOR Trabalhar: § Supra-renal, pressionando durante 30 segundos; § Zona dolorosa (área correspondente no pé), durante 30 segundos, no pé oposto; § Supra-renal, pressionando durante 30 segundos;

[ ESPASMOS Trabalhar: § O ponto doloroso, empurrando o pé no sentido do espasmo; - Procuramos um ponto doloroso na zona do maléolo externo, pressionamos e “puxamos/ empurramos” o pé no sentido do espasmo; - Se o espasmo for no joelho, pressionamos a zona mais plantar, abaixo do maléolo e “empurramos” no sentido do espasmo. - Se o espasmo for na região coxo-femural, pressionamos na zona mais dorsal e empurramos no sentido do espasmo; - Se o espasmo for na região sacrococcígea, procuramos uma cavidade existente acima do astrágalo e colocamos o indicador nesse ponto e simultaneamente o polegar da mesma mão na região plantar, traçando uma linha reta relativa ao indicador e pressionamos na região plantar.


Palestra de Sérgio de Luiggi – 2 de Agosto de 2009 I Congresso Nacional de Reflexologia na Madeira

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pés


Os pés são portais de entrada e de saída de energia do nosso organismo. Cada um deles representa metade do corpo: o direito, a parte direita do corpo, e o esquerdo, este lado do corpo. Todos os órgãos, glândulas e outros sistemas estão representados nos pés e dispostos na mesma distribuição como estão no organismo. A coluna vertebral está projetada nas curvas internas dos pés, e nas externas, os ombros e a nuca.

Como se trata de uma zona reflexa, quando algum dos seus pontos apresenta algum tipo de rigidez, normalmente há uma tensão ou congestão na parte do corpo que está na mesma zona de energia. O reflexólogo vê isso apenas como um indicativo, não se aventurando a fazer um diagnóstico, uma vez que essa indicação se dá num nível sutil de energia. Dessa forma, uma determinada condição que interfira no fluxo de energia em qualquer ponto ao longo de uma das zonas de energia afetará todas as estruturas que participam dessa zona. Ao se estimular as áreas dos pés pela aplicação de pressão beneficia-se toda a zona correspondente no corpo.

A Reflexologia divide os pés em cinco linhas horizontais, as chamadas linhas básicas. Elas permitem uma orientação mais precisa para a aplicação de pressão nos lugares correspondentes às partes do corpo:


- A Linha do Ombro está nos dedos e corresponde à cabeça e ao pescoço.
- A Linha do Diafragma fica nos metatarsos, ou seios dos pés. Através dela, podemos acessar o peito, pulmões e ombros.
- A Linha do Diafragma corre logo abaixo do final dos seios – a parte superior do arco do pé – e, como diz o nome, se relaciona ao diafragma (até a cintura) e aos órgãos abdominais superiores.
- A Linha da Cintura fica na parte inferior do arco do pé e corresponde à cintura (até a pélvis) e aos órgãos abdominais inferiores.
- Para localizar a Linha Pélvica basta identificar o ponto acima do calcanhar, onde a parte macia da pele do arco se torna mais áspera, mudando até mesmo de cor. Ela tem a ver com a região pélvica e o nervo ciático.

Com esse traçado, você tem uma espécie de coordenada métrica que pode ajudá-lo na massagem das áreas reflexas dos pés.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

A Reflexologia e colonterapia


A limpeza intestinal é uma prática usada desde o início dos tempos como um dos meios mais preciosos de conservar a boa saúde e tem sido bastante negligenciada nos tempos modernos. Todas as medicinas tradicionais antigas (China, Índia, Egipto, Grécia, Polinésia, etc.) preconizavam a limpeza do intestino com um pouco de água ou utilizando técnicas não invasivas a fim de assegurar um bom funcionamento para todo o organismo e evitar doenças agudas ou crónicas.

Em todas as medicinas ancestrais, a limpeza intestinal também eram usadas como uma terapia útil para combater as doenças já instaladas, quaisquer que fossem seus nomes. Assim a Reflexologia tinha um papel importante para o correto funcionamento do intestino, através do estimulo feito ao mesmo, através dos pés.

Com o desenvolvimento da medicina química sintomática moderna a “limpeza” do cólon, como procedimento de higiene interna e recuperação da saúde, foi caindo no esquecimento. Se a função do intestino delgado é absorver os alimentos de que nosso corpo necessita, a do intestino grosso é, junto com a pele, os rins e os pulmões, colocar para fora do corpo os detritos e as toxinas. Quando ele está cheio ou não se esvazia completamente, matérias tóxicas ficam nele estagnadas e irritam suas finas paredes.

A flora intestinal é alterada e logo as substâncias tóxicas que deveriam ter sido eliminadas são reabsorvidas pelas paredes fragilizadas do intestino envenenando todo o organismo. Deste modo, a maioria das doenças é consequência de um mau funcionamento do intestino. É o que ocorre com a maioria dos moradores dos países civilizados que comem principalmente alimentos refinados e carentes de fibras alimentares, e criam assim problemas para o funcionamento intestinal.

Para todos que sofrem de prisão de ventre é importante, além de uma mudança de hábitos alimentares, e efetuarem consultas de Reflexologia, a fim de assegurar uma boa eliminação e livrar-se do mal-estar, sintomas desagradáveis e evitar o surgimento de doenças. Tudo isto se explica não só pela limpeza intestinal como também pelo efeito reflexológico produzido, através da estimulação dos reflexos intestinais presentes nos nossos pés. Não sendo por isso um método invasivo como a atual limpeza do intestino através de enemas.

Esta é mais uma técnica desta arte que é a Reflexologia, em que é trabalhado os reflexos do intestino durante 1 hora .

O objetivo do tratamento com a colonterapia é dar a oportunidade de descobrir que um intestino livre de toxinas é um dos fundamentos da boa saúde. Resultados do Tratamento com colonterapia

Nosso corpo se projeta no interior do cólon, assim como nas plantas dos pés ou nas orelhas, por exemplo.

Para a estimulação destas zonas reflexas recorre-se a colonterapia, técnica que equivale a uma estimulação reflexa na planta dos pés.

Por exemplo, pessoas com problemas de visão podem sentir dores na região intestinal correspondente aos olhos. Durante a estimulação dessa região pode melhorar o problema de visão de maneira bastante significativa.

A melhoria do estado de saúde proporcionada pela depuração do cólon manifesta-se por vários sinais, por exemplo:
- Sensação de bem estar resultante da eliminação dos mucos, gases, partículas de alimentos não digeridos, toxinas;
- Sensação de leveza decorrente do desaparecimento da pressão exercida sobre os órgãos vizinhos pelo intestino inchado;
- Melhora dos edemas e dos estados inflamatórios localizados obtida pela eliminação das substâncias irritantes;
- Desaparecimento de parasitas indesejáveis;
- Perda de peso e emagrecimento, mas também ganho de peso em pessoas muito magras;
- Aumento da tonicidade abdominal;
- Melhora da função de eliminação renal;
- Melhora do estado geral e funcionamento do tubo digestivo;
- Prevenção de câncer de cólon;
- Ação desintoxicante que leva à regeneração dos tecidos e a um efeito rejuvenescedor;
- Melhora das funções intelectuais e equilíbrio emocional .

Pensamento


sábado, 5 de fevereiro de 2011

Reflexologia ajuda a tratar de problemas emocionais e da saúde


A reflexologia é muito mais do que um simples carinho nos pés. Ela é uma terapia que trabalha com estímulos sensoriais mais de 70 mil terminações nervosas que existem nos pés e que correspondem a todos os órgãos e glândulas do corpo. As plantas dos pés formam um imenso mapa do corpo humano em que cada área corresponde a um órgão e tem uma função de tratamento.

Calosidades, joanetes e outras alterações podem ser indício de que algo não vai bem no organismo. Diferentemente da acupuntura, a reflexologia não trabalha um único ponto. Ela atua num âmbito mais geral. Com uma massagem em certos lugares, os órgãos são estimulados e eliminam toxinas. A técnica reduz a tensão e melhora a irrigação sanguínea, o que estimula o funcionamento do sistema nervoso.

A reflexologia abrange 37 pontos ligados ao organismo. Ela não tem função medicinal e não substitui remédios prescritos, mas ajuda nos momentos mais difíceis. Uma pressão profunda e lenta entre o dedão e o segundo dedo ao deitar, relaxa e espanta a insônia e ansiedade. Já de manhã, quem não dormiu bem deve pressionar o mesmo ponto de forma rápida e superficial, para estimular. Quando o problema é dor de cabeça, experimente uma pressão lenta e profunda sobre a unha do dedo mindinho.

Através do estímulo dos dedos é possível dar um basta à tristeza, um gás na criatividade, na alegria, trabalhar o apego ou o desapego, o medo e a insegurança. Os próprios pés denunciam problemas tanto de saúde quanto emocionais.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Guia Completo de Reflexologia (dica livro)

Guia Completo de Reflexologia: Todo o Conhecimento Necessário Para Adquirir Competência Profissional


O Guia Completo de Reflexologia é um manual passo a passo para você curar a si mesmo e tratar outras pessoas com a reflexologia. Escrito de maneira profissional, proporciona um conhecimento aprofundado da teoria e da prática reflexológicas. Ideal para principiantes, profissionais experientes e professores, este livro abrangente:




- Explica as origens da reflexologia e o modo como essa técnica funciona;

- Descreve com clareza a anatomia e a fisiologia de cada sistema orgânico, além de dar instruções minuciosas sobre como trabalhar os pontos reflexos associados;

- Instrui sobre o modo de aliviar mais de 70 condições patológicas;

- Apresenta, em detalhe, vários estudos de casos de pacientes satisfeitos e dá conselhos práticos para você se estabelecer profissionalmente como reflexologista;

- Inclui uma rotina completa de reflexologia para as mãos.


Editora Pensamento / Cultrix
Autor Ann Gillanders

Os reflexólogos


Os reflexólogos – terapeutas especializados em Reflexologia – não diagnosticam doenças nem realizam curas médicas.

A terapia não substitui, portanto, o tratamento médico, nem dispensa a orientação de um especialista. A Reflexologia trabalha com energias sutis, revitalizando o corpo de forma que os mecanismos naturais possam funcionar melhor.

Ela entende que nenhuma terapia traz a cura, mas sim dá condições ao corpo de curar a si mesmo. Assim, o reflexólogo é um canal para ajudar o organismo a encontrar seu próprio ponto de equilíbrio.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Reflexologia: portal da Harmonia


As terapias de manipulação (massagem) são muito antigas e geralmente
eram transmitidas de pai para filho através das gerações.

Segundo Hipócrates(435 anos a. C.):

"A origem da massagem se perde na noite dos tempos".

Obviamente, os primeiros métodos e práticas terapêuticas deviam basear-se no comportamento instintivo do homem, como uma necessidade de proteção, do toque da pele, da carícia, de afagar, de friccionar, de massagear as partes doloridas do corpo.

Aliás, até hoje por mais progresso e conhecimentos científicos que tenhamos adquirido, conservamos esse instinto primário, que está profundamente arraigado no nosso íntimo ao ponto de nos sentirmos muito fragilizados quando somos acometidos de alguma dor, procurando o aconchego dos entes queridos que nos rodeiam, para que nos ajudem a encontrar um remédio qualquer, que alivie as nossas dores.

Quando esse alívio torna-se possível através de uma simples manipulação realizada com os dedos das nossas mãos, abre-se, então, um amplo campo para a ampliação da Reflexologia, arte ou método arte ou método terapêutico que está firmando-se mundialmente, obtendo cada vez mais o reconhecimento de que merece um grande destaque entre os diversos processos de curas naturais.

A Ciência Moderna tem feito descobertas importantes de como a mente, as emoções e o corpo interagem, e como um pode impactar o outro, afetando o bem-estar geral de nosso ser. Afinal não somos feito de partes; muitas vezes assim o consideramos por questões didáticas, porém, corpo, emoções e mente estão intimamente relacionados, influenciam um ao outro e no desequilíbrio de um, verificamos o desequilíbrio de todos.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Reflexologia : terapia de pressão orientais


O que você diria de uma terapia que, para tratar um órgão qualquer, concentrasse os procedimentos de cura nos pés? Estranho? Nem um pouco. Estudos médicos feitos no início do século 20 pelo inglês H. Head e o canadense J.N. Mackenzie demonstraram que as dores reflexas não se manifestam exatamente no lugar onde se situa um determinado órgão, mas são transferidas através dos nervos raquidianos da medula espinhal para outros lugares do corpo – as áreas onde se manifestam os fenômenos reflexos.

Essas zonas do nosso corpo representam o conjunto de órgãos e sistemas internos como um todo. A íris, as orelhas e, especialmente, os pés possuem as mais completas áreas reflexas – verdadeiras telas de informações onde são projetados todos os problemas de saúde e, ao mesmo tempo, as mais importantes vias de acesso para regularizar alterações energéticas do organismo. E é através dos pés que a Reflexologia exerce a cura e a manutenção da saúde.

As origens da Reflexologia não são conhecidas, mas é provável que ela tenha surgido por volta de 4.000 a.C. Na China, na Malásia e na Índia era praticada uma forma rudimentar de pressão sobre alguns pontos do corpo para aliviar certos transtornos. Uma técnica semelhante era conhecida no Egito, conforme ateste a pintura fúnebre de uma tumba de médicos em Sakkarah.

No Ocidente, o primeiro relato desse tipo de terapia vem do escultor florentino Benvenuto Cellini (1500 – 1571), discípulo de Michelangelo, que teria sido aliviado das intensas dores que o afligiam por meio de pressões aplicadas sobre os dedos das suas mãos e pés.

Consta, também, que quando o recém-eleito presidente dos Estados Unidos James Garfield sofreu um atentado, em 1881, seus médicos nada puderam fazer para curar suas feridas infeccionadas. Como último recurso, foi chamado o xamã de uma tribo indígena que aplicou um antigo método terapêutico do seu povo. A terapia consistia em pressionar determinados pontos dos pés do presidente. Para surpresa geral, as dores começaram a ceder e, em pouco tempo, as feridas cicatrizaram.

Nessa época, diversos estudos começaram a ser publicados sobre as áreas reflexas. Em 1886, o médico alemão A. Weihe divulgou um estudo onde relatava que “em conseqüência de uma enfermidade de um órgão interno qualquer, uma série de pontos dolorosos ou muito sensíveis a qualquer pressão aparecem na superfície cutânea”. Weihe atribuiu uma relação sintomática a esses pontos, citando 195 deles. Soulie de Morant, um dos introdutores da acupuntura na Europa, observou a equivalência de 140 pontos da acupuntura com aqueles determinados por Weihe.

Mas apesar da semelhança com antigas técnicas de terapia de pressão orientais, a Zone Therapy ou Reflexologia deriva do princípio das zonas energéticas no corpo, desenvolvido pelo médico americano W.H. Fitzgerald (1872 – 1942) a partir de 1913 e, posteriormente, ampliado por outros autores, na maioria seus discípulos. Fitzgerald obteve grande prestígio com suas pesquisas ao verificar que seus pacientes submetidos a intervenções cirúrgicas suportavam melhor a dor quando pressionavam com força os dedos das mãos contra as alças das cadeiras de rodas. Estudando a influência das pressões exercidas em vários pontos do organismo acometido de dor ou de sensibilidade, dividiu o corpo em dez zonas longitudinais que, partindo de cada um dos dedos dos pés e das mãos, terminavam no alto do crânio. Fitzgerald percebeu que cada zona cobria a superfície corporal, os órgãos, as vísceras e outras estruturas anatômicas. Dessa forma, o médico deduziu que, ao manipular determinados pontos localizados dentro de uma dessas zonas, era possível influenciar os órgãos contidos nela. Fitzgerald, porém, nunca deu muita atenção à pressão nas áreas reflexas dos pés, concentrando-se na manipulação das mãos e dos dedos.

Coube a outro médico, Bond Bressler, destacar que as zonas reflexas encontram-se melhor delimitadas nos pés do que nas mãos e em outras zonas. Na década de 1930, a terapeuta Eunice Ingham confirmou os estudos de Bressler. Usando a teoria de zonas energéticas, concluiu que essas zonas corriam por todo o corpo e podiam ser acessadas de qualquer lugar. No entanto, os pés foram a parte do corpo que apresentou maior resposta ao trabalho das zonas de energia. Eunice Ingham não mediu esforços para divulgar os benefícios desse método para o grande público. Assim nasceu a Reflexologia, como a conhecemos hoje. No conceito de Ingham, a Reflexologia se propõe a aliviar o estresse e a tensão, melhorando o fluxo sanguíneo no organismo, promovendo o desbloqueio dos impulsos nervosos e ajudando o corpo a encontrar a homeostase – o estado de equilíbrio do organismo em relação às suas várias funções e à composição química dos seus fluidos e tecidos.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Reflexologia Energética - Massagem para os Pés

A massagem nas áreas reflexas dos pés, aqui denominada reflexologia energética, constitui um sistema terapêutico complementar a qualquer tipo de tratamento, estimulando o sistema imunológico e outros mecanismos de auto-equilíbrio. Acompanha mapa colorido.

A reflexologia energética, por induzir o organismo a um relaxamento total, constitui um sistema terapêutico complementar a qualquer outro tipo de terapia, e este é o ponto-chave deste livro, resultante da técnica.

Aqui, os autores mostram a diferença que existe entre a reflexologia convencional e a energética, dentro de uma visão de harmonização de corpo e mente, sintetizando sua aplicação nos pés.

A massagem nas áreas reflexas dos pés estimula o sistema imunológico e outros mecanismos de auto-equílibrio orgânico, auxiliando preventivamente nas ocorrências de distúrbios potenciais.

O capítulo benefícios da Reflexologia Energética mostra com muita clareza como esta técnica reduz a tensão, o estresse e o nível de toxinas, levando ao aumento da criatividade e da produtividade, enquanto o capítulo Técnicas da Reflexologia mostra como obter tais benefícios. E, além disso, a reflexologia melhora os padrões de comunicação, da autoconfiança e de troca amorosa entre as pessoas. Seus benefícios no âmbito físico, emocional, mental e espiritual são amplamente sentidos por quem a pratica. Neste livro, de texto minucioso mas não técnico a ponto de desestimular quem, pela primeira vez, se dispõe a ler e a aplicar o que se ensina, ao lado de numerosas ilustrações que facilitam a assimilação e prática do que é exposto, o leitor encontrará um precioso recurso para cuidar de si e dos que lhe são próximos e queridos.


Autor(es) : Alberto Feliciano Pier Campadello
Categoria(s) : Terapia
Editora: Madras